domingo, 2 de dezembro de 2012

PREVI - RETRATO DO PLANO I


Inicio o meu blog apresentando um resumo de sugestões que encaminhei para o Grupo Temático da ANABB que trata do Plano I da PREVI, propondo:
 - Estudos para alteração dos critérios de reajustes de benefícios (art. 27 e 62) do Regulamento da PREVI, de 16/02/2011.
- Estudos para alinhamento do Plano I, corrigindo distorções dos benefícios.
Fundamentei as sugestões, mostrando a existência de vários grupos dentro do Plano I, decorrentes de alterações em estatutos e regulamentos, sendo eles:
a) - Os pré-67 que ingressaram no BB até março de 1947, vigência do Estatuto de março de 1935. Não contribuíram para a PREVI. O Banco é o responsável pelo pagamento dos benefícios;
b) - Os pré-67 que ingressaram no BB entre março de 1947 a março de 1967. Iniciaram as contribuições para PREVI, na razão de 1 X 2 do BB, somente a partir de abril de 1967. Hoje as contribuições são de 1 X 1.
c) - Os pós-67 que ingressaram no Banco entre abril de 1967 a março de 1980;
d) - Os pós-67 que ingressaram no Banco entre março de 1980 a 24/12/1997.
OBS: Os que tomaram posse a partir de janeiro de 1998 fazem parte do Plano II, atualmente com cerca de 76.000 participantes.
A partir de dezembro de 1997 teve início a extinção do Plano I, que contava, na época, com 70.362 participantes ativos, 45.315 aposentados e 10.929 pensionistas. Hoje o perfil está invertido. São 30.544 ativos, 68.960 aposentados e 18.964 pensionistas. Dos participantes, 328 têm entre 35 a 39 anos; 16.786, entre 40 a 49 anos; 65.842 entre 50 a 69 anos; 16.105, entre 70 a 89 anos e 443, entre 90 a 104 anos.
 Até 1980 o regime da PREVI era de caixa. A partir de 1980, por força de lei, foi adotado o regime de capitalização e instituídas as reservas de poupança e provisões matemáticas. Em 1997, O Banco assinou contrato com a PREVI para compor as reservas no valor de R$ 10,970 bilhões, utilizando R$ 5,093 bilhões do superávit. O remanescente de R$ 5,877 bilhões seria capitalizado pelo Banco, com prazo estimado em 32 anos, podendo amortizar antecipadamente, com uso de 2/3 de futuros superávits. Este saldo foi liquidado em 2004, com o uso, parcial do superávit da PREVI.
É sintomático a PREVI apresentar superávits em vários anos seguidos, permitindo que o Patrocinador e participantes não aposentados se beneficiem de reservas especiais. Muitos recebem benefícios elevados, mesmo sem ter contribuído para tanto. São cerca de 30.000 na ativa que não contribuem desde 2007, diferentes dos mais de 65.000 aposentados.
Observando o histórico do Plano I, podem ser identificadas inúmeras distorções, ensejando benefícios desiguais para contribuições semelhantes, possibilitando questionamentos na Justiça, que acabam onerando o Plano e criando mais distorções, a depender das decisões judiciais. Podemos citar como exemplos de origens das distorções:
- Ingresso no Banco na vigência de um estatuto, aposentados com regras de outros estatutos;
- Utilização de reservas especiais para melhorias específicas de benefícios como: Redução da Parcela PREVI;  Elevação do teto de contribuição e de benefícios de 75% para 90% dos proventos totais; Pagamento do Renda certa que proporcionou benefícios exorbitantes, para alguns, superior a R$ 1 milhão; Reajustes dos salários de contribuições dos ativos maior que dos aposentados, pode quebrar o uso proporcional do BET. Exemplos: Reajustes BB em 2010, 7,5%, 2011, 9%, 2012, 7,5%, enquanto que os aposentados tiveram 5,35%, 6,4% e 4,86%;
- Não reajuste de benefícios em 1995/1996, atrelados aos reajustes do Banco, até 24/12/97;
- Redução de benefícios em função da Parcela PREVI, criada em 1997. Com a redução do valor de   R$ 2.200,00 para R$ 1.468,00, a partir de dezembro de 2006 as perdas foram amenizadas e para muitos  houve ganho. Os que se aposentaram a partir de 24/12/97, que recebem do INSS menos que a parcela PREVI, hoje de R$ 2.306,00 continua acumulando perdas.
- Achatamento de benefícios em função de mudança de critérios de concessão e de reajustes. A reserva de poupança foi corrigida em percentual muito superior aos reajustes dos salários de contribuições;
- Parte da poupança dos Pedevistas, cerca de 40.000, desligados do Banco até 24/12/1997.
Entre 1998 a 2012, o salário mínimo cresceu mais que o dobro da inflação. Os reajustes acumulados dos benefícios da PREVI foram 69% maiores que os reajustes do BB. Entre 1998 a 2004, enquanto os reajustes da PREVI foram de 109% os do BB foram de 33,07%. Porém, entre 2005 a 2012 ocorreu o inverso. Os reajustes da PREVI foram de 50,32% e os do BB foram de 70,86%, contribuindo para novas distorções. Os benefícios médios atuais registram uma perda de 44% quando comparados com os de 1999 corrigidos até 2011.
Entre 1999 a setembro de 2012 o patrimônio líquido da PREVI subiu de R$ 27 bilhões para R$ 134, crescimento de 396%. As Provisões matemáticas subiram de R$ 25 para R$ 102 bilhões, crescendo 408%. Para este crescimento, contribuíram bastante as mudanças nas premissas atuariais, como a adoção da tábua de mortalidade AT 2000 e redução da taxa de juros atuariais, hoje de 5% a.a. A rentabilidade acumulada neste período foi de 1.191%, sendo 1.985% superior à meta atuarial. A rentabilidade em rendas variáveis contribuiu para esta performance.
O maior superávit, R$ 53 Bilhões e a reserva especial R$ 37,5 bilhões foram em 2007. Possivelmente estes grandes números motivaram a edição da Inconstitucional Resolução CGPC 26/2008, que determina a divisão da reserva especial entre o patrocinador e participantes, cuja legalidade está sendo discutida na Justiça. Existem Projetos de Leis tramitando na tentativa de rever esta situação. Com base na reserva de R$ 19,9 bilhões acumuladas em 2009, R$ 15 bilhões foram contabilizados em fundos previdenciários, sendo R$ 7,5 bilhões para o BB e R$ 7,5 bilhões para o BET dos participantes ativos e aposentados com duração prevista até 2014. Em setembro de 2012 o Superavit foi de R$ 31 bilhões. Deduzindo as reservas de contingências e o saldo dos fundos previdenciários, a reserva especial ficou R$ 1,5 bilhões negativas, representando ameaças para continuidade do BET em 2013. Em breve, apresentarei comentários específicos a este respeito.


Blog:  ajccarvalho.blogspot.com

54 comentários:

Antonio Carvalho disse...

Estou testando minha primeira postagem. Sei que ficou extensa mas o conteúdo é volumoso. Fiz expedição completa, inclusive com anexos nos e-mails do meu relacionamento.
Espero contribuir com outras publicações e fico no aguardo dos comentários.

Ricardo Aragão disse...

Caro Carvalho,

Vislumbro um grande secesso para este seu blog, amigo. Suas sensatas opiniões, a precisão de dados e o vasto conhecimento de causa que tem, sobejamente demonstrados no grupo de discussões via email, certamente não resultarão noutra coisa!

Resta-nos torcer para o sucesso também das causas e reivindicações de interesse dos "filhos do BB" (funcionários, aposentados e pensionistas). Mas essa é uma luta de todos e você já muito contribui.

Continue firme nessa peleja!

Cordialmente,
Ricardo Aragão
Ipu - CE

José Luiz Sobrinho. disse...

...PARABÉNS, pelo BLOG, meu caro Carvalho!...Sem dúvida, serei um assíduo leitor.
Sucesso; e um fraterno abraço. José Luiz Sobrinho.

izamel disse...

Prezado Antonio, qual será o indice de reajuste dos beneficios da Precvi ,previsto para Jan/2013?

Paulo Petuba disse...

Parabéns, gostei da sua exposição com bastante números e análises.

ANTONIO AMERICANO DO BRASIL BORGES disse...

Prezado Colega,
Gostei de receber email com suas informações. Anotei o blog e serei leitor assíduo
Parabéns pela iniciativa.
Abraços
Antonio Americano
Goiania (GO)

Iraides disse...

Obrigada colega pelos esclarecimentos, é bom ter alguem com quem contarmos, alguem que dedica seu tempo a estudos em favor dos colegas, com a aposentadoria ficamos acomodados e deixamos de cuidar de nossos interesses. Ainda bem que temos voces da ANABB pra cuidar disso, parabens pelo blog.

Delzio Lott disse...

Percebe-se que vc detem conhecimento a respeito do tema, argumenta bem e relata com fatos. Parabéns, obrigado por compartilhar sua bagagem. Espero continuar a ler mais a respeito de assunto, que possui extrema importância no interesse de servidores ativos e aposentados do BB.

Jurandir Barros disse...

Com certeza, dos blogs destinados aos aposentados do Previ 1 o seu será o melhor. Sempre leio com atençao os seus emails, recheados de provas tecnicas, sem aquela dubia tese do "dominio do fato", demonstrando claramente que estamos lendo a analise de um especialista no assunto. So fiquei frustrado por vc nao ter apresentado suas sugestoes. Vai ficar pro proximo capitulo?

Isa Musa de Noronha disse...

Prezado Carvalho,

Li atentamente suas análises sobre nosso Plano I. Perdoa se abuso, mas você poderia traçar um paralelo com a sugestão do ex-conselheiro Previ, Willian Bento, para aquele reajuste adicional com base na rentabilidade do plano? Se precisar falar comigo, me telefone (31) 9617-6378.
Parabéns pelo blog. Estamos precisando de gente séria e que não perde tempo com abobrinhas. Há blogs e grupos Yahoo por ai na rede que só fomenta a discórdia, a maledicência e a auto promoção.
Respeitosamente,
Isa Musa

Antonio J. CARVALHO disse...

Isa estou testando a dinâmica de resposta.
Carvalho

Anônimo disse...

Parabéns pelo blog !

Janine

Antonio Carvalho disse...

Prezados:
Agradeço pelo acesso ao meu blog, pelos comentários e pelo incentivo.
Pretendo implementar uma dinâmica de compartilhar informações atuais, numa linguagem simples e direta e objetiva, ao menos uma vez por semana.
Espero contar com a participação de todos para enriquecer os temas. Informação é algo que enquanto mais se divide, mais se acumula.
Abraço,
Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Prezado Izamel:
Ainda não é possível informar o índice de reajustes de janeiro, que deverá ser o acumulado de junho a dezembro de 2012.
De junho a outubro o acumulado é de 2,5%. Acredito que pode chegar aos 3,6%, a depender ainda dos índices de novembro e dezembro.
OBS: Apesar de já ter sido decidido pela PREVI, esta alteração ainda tem que ser aprovada pelo Governo e PREVIC. Acredito que não haverá óbice a respeito da aprovação.
Abraço,

Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Prezado Izamel:
Ainda não é possível informar o índice de reajustes de janeiro, que deverá ser o acumulado de junho a dezembro de 2012.
De junho a outubro o acumulado é de 2,5%. Acredito que pode chegar aos 3,6%, a depender ainda dos índices de novembro e dezembro.
OBS: Apesar de já ter sido decidido pela PREVI, esta alteração ainda tem que ser aprovada pelo Governo e PREVIC. Acredito que não haverá óbice a respeito da aprovação.
Abraço,

Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Prezada Isa:
Grato por acessar ao meu blog e postar comentário. A proposta do ex-Conselheiro William, no meu entendimento é bastante interessante e consistente. Ainda não vi manifestação da Diretoria da PREVI. E veja que foi encaminhada em março de 2012.
Você provocou, no bom sentido, e mais colegas também, via e-mail, para que EU apresente sugestões de como fazer.
Tenho em mente algumas ideias que apresentarei ao grupo temático, do qual você faz parte, juntamente como colegas valorosos como Aldo Alfano, William Bento, Do Céu e etc, oportunamente.
Sabemos que o momento econômico da PREVI não é dos melhores. Porém, temos que agir proativamente.
Grato por disponibilizar seu telefone.
Abraço,

Carvalho

Isa Musa de Noronha disse...

Caro Carvalho. Por favor, não espere a próxima reunião dos GAT. Assim que vc tiver preparado sua sugestão mande para mim? Por favor?

Unknown disse...

Parabéns pelo blog, principalmente porque, como já o disse D. Isa, volta-se para o aspecto técnico, sem dar margem a fofocas e maledicencias. Com certeza serei fiel seguidor, mesmo porque somente através de materias assim é que conseguimos melhor entender o que ocorre na PREVI, na CASSI e no próprio BB.
Luiz Faraco, de Florianópolis (SC)

Getulio Martins Rodrigues disse...

Caro Antonio Carvalho,
Parabéns pelo blog. Serei assíduo leitor e participante. Você conseguiu colocar em números e palavras o que eu vivo cobrando sobre a desigualdade dos grupos de funcionários do Plano 1. Sou do grupo admitido nos meados de 1970 (1975, precisamente) e que são milhares de funcionários. Aposentei em 2007. Carrego no valor de minha aposentadoria os efeitos negativos dos números apresentados por você. Durante os anos FHC, enquanto a PREVI tinha reajustes pela inflação real, os salários DO BB foram achatados. Agora, aposentados, os funcionários da ativa têm ajustes salariais acima da inflação, enquando a previ repõe o INPC. Até quando?

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Espero que o colega seja mais um a agregar valor nas discussões acerca dos problemas que incomodam os assistidos do “PB-1”. Imagino que a sua participação, de 2008 a 2001, no conselho fiscal da Anabb fará com que as tratativas fluam com bastante naturalidade no grupo temático específico para o qual o seu pleito foi encaminhado. Achei muito interessante e promissor o fato de Dª Isa ter se manifestado e abraçado a sua causa. Renovam-se mais uma vez as esperanças de que os aposentados e as pensionistas poderão ter dias melhores e que as injustiças relatadas serão minimizadas num futuro bem próximo.

Anônimo disse...

Parabéns pelo blog, Carvalho.
Seremos leitores assíduo e participativos !
No Demonstrativo do Ativo Líquido - Plano 1-, em agosto havia R$ 15.943 mil em "Empréstimos de ações" .O que é isso?
Também pergunto:"Outras Exigibilidades" R$ 4,774 bilhões, não é exagerado ?
Obrigado
Paulo Beno e Leda Goellner
Carazinho (RS)

Anônimo disse...

Caro Antonio Carvalho,

Seu blog surgiu num momento oportuno e tenho a certeza de que ele muito contribuirá no sentido de orientar o Grupo Temático da Anabb, na tentativa de corrigir as distorções existentes nas aposentadorias do Plano 1, que surgiram ao longo do tempo através de alterações estatutárias, sempre criadas e planejadas com o único objetivo de prejudicar os assistidos e enriquecer ainda mais Previ e o próprio Patrocinador. Tudo está muito bem detalhado e claramente explicado.

Obrigado.

Pedro

Anônimo disse...

Caro Carvalho,
Louvável sua iniciativa. Precisamos disso de quem tem conhecimento das causas (e das injustiças) existentes dentro de nossa Previ e do governo em relação à Previ(nossa Caixa).
Sou aposentado desde abril/2004. Meu benefício chega a estar em 50% menor que um colega aposentado antes de 1997. E o saldo de poupança é semelhante. Houveram contribuições em igualdade de valores. É muito injusto.
Pq não se pensar em usar, como outro parámetro de cálculo, o saldo de poupança que cada um fez? Corrigeria injustiças.
O cálculo considerando apenas os últimos 36 meses arruinou o meu benefício de aposentadoria (aposentado em 2004).
Os participantes do Plano 1 não tem alguma forma de se organizar e requerer que sejam corrigidas as injustiças? Oxalá apareça algum lider para dar início a esse movimento!
Grato
Maximino

Anônimo disse...

Caro Carvalho,
Confesso que dantes lhe achava "intrometido", "petralha-gov." perante o blog REDE-SOS. Achava-o mais um cara-pálida a serviço-próprio e da ANABB-BB/GOV. Isto era o que eu achava. O tempo foi passando e Vossa Merce se classificou devidamente.

Hoje respeito-lhe. Pelos seus vastos conhecimentos/ideias e pelo modo que nos trata/ajuda.
Seguirei seu blog diariamente.

/lui.

Antonio J. CARVALHO disse...

Prezado Lui:
Grato pelo seu comentário:
Nunca fui filiado a qualquer partido e muito menos militante na polícia partidária.
Há mais de 10 anos, ainda na ativa, já me interessava por assuntos da PREVI, CASSI e ANABB. Nos últimos 5 anos tenho dedicado boa parte do meu tempo a estes assuntos e compartilhado com os colegas.
Pretendo continuar estudando e me aprofundando ainda mais para postar meus comentários de forma democrática, respeitosa e fundamentada.
Abraço,
Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Prezados (as)
Grato pelos mais 700 acessos ao meu blog e pelos comentários e incentivos.
Estive viajando. Vou retomar minhas postagens e comentários.
Abraço a todos,

Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Prezados Getulio e Maximino:
Igual a vocês, também carrego parte deste fardo do achatamento de benefícios. Ingressei no Banco em 1972 e me aposentei em 2004.
De um modo geral, principalmente os Postos Efetivos e quem exerceu pequenas comissões, o achatamento decorreu de uma combinação entre mudanças de regras, perversa política salaria adotada pelo Banco, descompassos entre reajustes da PREVI e do Banco, visivelmente percebida, sendo: Até 2003 reajustes da PREVI bem superiores ao do Banco. A partir de 2004 houve uma inversão, ou seja, reajustes do Banco superiores aos concedidos pela PREVI. Tudo legal, feito de acordo com estatutos,regulamentos e dissídios coletivos. Ocorre que as reservas de poupança foram rentabilizadas de forma igual para todos. Na minha opinião uma possível correção de distorções somente será feita de forma negociada. Desta forma torna-se necessária a mobilização de nossas Associações para negociar com o Banco e PREVI.
Abraço,

Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Prezada ISA MUSA:
Grato por sua importante participação/demanda e interesse em aprofundar este assunto que é tão complexo e de dificil acomodação. Assim que EU elaborar alguma sugestão de como fazer compartilharei com o grupo temático em que você e tantos outros colegas valorosos e conhecedores deste assunto participam. Levarei ao conhecimento dos colegas que participam do meu grupo de e-mail e agora, também, dos visitantes deste blog, para obter importantes subsidios.
Abraço,

CARVALHO

Antonio Carvalho disse...

Prezado Paulo:
A PREVI não divulgou notas explicativas a respeito das rubricas contábeis que você se referiu e constam nos demonstrativos de todos os meses. Vou procurar entender para se conseguir compartilhar com os colegas:
Abraço,

Carvalho

Anônimo disse...

Parabéns pelos 765 acessos.Seguirei seu blog.Edmílson de Januária mg.

Carlos Pinheiro da Cruz disse...

Meu caro Carvalho, conhecendo-o como conheço, não me surpreende, em nada, a aceitação de seu blog, como fonte, fidedigna, de informações e orientações, por parte de toda a massa de colegas interessados em dados abalizadas, estudados e conscientes. Seu compromisso com as coisas que se propõe a fazer, especialmente após aposentadoria, no trato da CASSI, PREVI E ANABB, sempre foi, pelo menos por mim, considerado algo de muitíssima relevância para nós. Porque você é um cara sério, ético, transparente e, sobretudo, solidário aos colegas menos informados das coisas dessas Instituições. Sou seu fã incondicional. Continue.
Você é cara...
Carlos Pinheiro

Anônimo disse...

Caro amigo Carvalho, parabéns pela edição do seu blog, com certeza será divulgado aqui no RN.

Pedro,
Natal-RN

Silvana disse...

Parabéns pelo blog inovador, sou pensionista do BB há 22 anos e só agora estou me atualizando com relação à nova realidade da PREVI e as dificuldades de seus assistidos. Um abraço.
Silvana

Anônimo disse...

Caríssimo Antônio,

Quero agradecer-lhe pelo seu empenho e seriedade nas informações que nos passa.
Parabéns pela lucidez dos seus escritos.
Aproveito para desejar-lhe um Natal de muita alegria e um 2013 cheio de realizações.
Abraço,
Emília Sandes

saulo sartre ubaldino disse...

Nunca tinha lido informações tão pormenorizadas do Plano I. Parabéns, só acho que as conotações das decisões do BB, CASSI e PREVI sempre são revestidas de interesses maiores, interesses de uma política macro-prudenciais; macro-políticas. Os dados estatísticos são subjados por estratégia de governo, seja do patrocinador ou do Governo.

Anônimo disse...

Carvalho,

Obrigado por comentar, esclarecer.

Feliz Natal e um maravilhoso 2013 para você e família.

Lima

Antonio Carvalho disse...

Prezado Aragão:
Grato pelo incentivo.
Chegaremos lá!,
Abraço,

Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Grato pelo incentivo, Jose Luiz.
Abraço,
Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Prezado Paulo:

Grato pelo incentivo.
Abraço,
Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Prezado Antonio Americano,

Grato pelo incentivo.
Abraço,
Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Grato pelo incentivo, Iraildes.
Abraço,
Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Grato pelo incentivo, Delzio.
Uma curiosidade: Você tem grau de parentesco com Ricardo Lott?
Abraço,
Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Prezado Jurandir:

Grato pelo incentivo.
Abraço,
Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Prezado Luiz:

Grato pelo incentivo.
Abraço,
Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Prezado Paulo:

Grato pelo incentivo.
Abraço,
Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Prezado Carlos:

Grato pelo incentivo.
Abraço,
Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Grato pelo incentivo.
Abraço,
Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Prezada Silvana:
Grato pelo incentivo.
Abraço,
Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Prezada Emilia:

Grato pelo incentivo.
Abraço,
Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Prezado Saulo:
Sua abordagem está correta.
Acima de nossas Instituições temos sempre o BB, subordinado ao Governo.
Grato pelo incentivo.
Abraço,
Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Grato pelo incentivo.
Abraço,
Carvalho

Anônimo disse...

Caro Carvalho,

Gostaria de sua opinião sobre a ultima abordagem do colega Rossi Neto, ou seja, sobre as diversas contribuições entre os assistidos, ativa, patrocinador e suas repercussões no BET.
Confesso lógica e matematicamente correta. Nenhum juiz ou tribunal haveria de ser contra a lógica.
Repito, gostaria de sua abalizada opinião.

/lui.

Antonio Carvalho disse...

Prezado Lui:
Concordo em parte com o relato/denúncia feita pelo colega Rossi Neto, encaminhado para a PREVI. Não é verdade que a partir de 2006 os aposentados se beneficiaram com o percentual de 4,8% de isenção de contribuições para PREVI com o uso do superavit enquanto que os ativos se beneficiaram com 7,8%, como ele apontou. Possivelmente ele se esqueceu que dos 7,8% existe um percentual de dedução de 0,6% e de 5,4% da Parcela PREVI de acordo com o salário de participação. Exemplos: Os ativos com salários de contribuição de R$ 2.000,00 a taxa de contribuição e isenta é de 1,98%. Com salário de R$ 4.000,00 que acredito ser a grande maioria, a taxa é de 4,68%. Com salário de R$ 6.000,00 a taxa é de 6,25%. Para salários de R$ 10.000,00 próprio de Gerentes, a taxa de contribuição e isenção é de 6,56%. Acredito que na média o percentual de contribuição dos ativos seja de 4,8% equivalente ao percentual dos aposentados. Entre 1997 e 2006 as taxas eram maiores. Para os aposentados era de 8%. As novas taxas foram estipuladas no estatuto de 28/11/2007, mantidas nos estatutos de 07/12/2010 e 16/02/2011, todos aprovados pelo Banco, Governo e PREVIC. Logo, concordo que é injusto, a exemplo de tantas outras distorções e injustiças. Porém, no meu entendimento é legal porque foi feito de acordo com a legislação e estatuto de cada época.
Desta forma, apesar de ser injusto os ativos e patrocinadores estão isentos de contribuições, de acordo com lei 109/2001. Estão se beneficiando com o BET, de acordo com a inconstitucional resolução CGPC 26/2008, que até o momento não foi considerada ilegal pela Justiça e nem reformulada pelo Legislativo, por ser de interesse do GOVERNO. Acredito que dificilmente haverá mudança e no próximo BET será feito da mesma forma do atual.
Respeito e considero as abordagens dos colegas, mas esta é a minha opinião.
Continuo à sua disposição e de todos,
Abraço,

Carvalho

Rodrigo Ap disse...

Boa Tarde!! no sei se tem algo a ver sobre tudo isso, mas eu rodrigo, meu pai, e irma assinamos o plano 1 da cassi em 31/01/97 dai meu pai teve esse mes um reajuste de 48% indo para 608 reais e gostaria de saber se isso e legal? pois o aumento e enorme. Muito obrigado desde de ja!!!