sexta-feira, 29 de março de 2013

PREVI - RELATÓRIO 2012

A PREVI divulgou em seu site o relatório de 2012.
Conforme já se tinha conhecimento, foi registrado UM BILHÃO de reservas especiais que deveria ser usada para revisão do PLANO, conforme previsto na lei 109/2001.
Ocorre que por força da Resolução CGPC 26/2008, a exemplo do que já ocorreu em 2010, este valor será divido com o Banco. Da parte que nos pertence, R$ 500 milhões, a PREVI vai discutir com o Banco e com o Governo a forma de ser concedido e possivelmente seremos consultados, como ocorreu no passado.
Diante do superavit apresentado, teremos a continuidade do pagamento do BET em 2013. Os recursos provisionados são suficientes para pagamento do BET até 2014. Porém, a continuidade em 2014 vai depender do desempenho da PREVI em 2013.
A exemplo dos anos anteriores, farei uma análise aprofundada dos números apresentados em 83 páginas, para, de forma resumida, emitir comentários para compartilhar com os colegas. Desta vez, para evitar volumes elevados de informações e mensagens extensas, pretendo dividir meu comentários em 3 tópicos:
- Informações gerais;
- Investimentos e rentabilidades;
- Contabilizações, Resultados e Destinações.
Aceito sugestões para melhoria da comunicação. Havendo interesse, demanda e necessidade, poderei comentar outros tópicos específicos com mais amplitude: Exemplo:
-Contrato de 1997 PREVI X BB, inerente aos pré-67; 
- Paridade de 2002; 
-Uso de superavits por parte do Banco; 
-Resolução 26/2008; 
-Retirada do patrocínio; 
-Ameaças de redução da taxa de contingência;
-Outros assuntos demandados e de interesse geral.
Abraço e FELIZ PÁSCOA.

Carvalho

8 comentários:

Unknown disse...

Prezado Colega Carvalho,

Todas as análises e comentários elaborados por voce são altamente elucidativos para nós. Acredito que todos estamos aguardando ansiosos seus pronunciamentos sobre o balanço PREVI 2012 e os demais assuntos alinhados em seu post. Obrigado e igualmente uma Feliz Páscoa.

Cordialmente,
Luiz Faraco - Florianópolis-SC

Anônimo disse...

Quando comentar "investimentos", por favor uma análise mais acurada e especial para Palácio Tangará " comprado" em 1998(com restriçoes ambientais, parece) e paralisado em 2011; para Aeroporto Guarulhos e terreno avenida Paulista/ Matarazzo em S.Paulo e para Sauipe é claro.Diz a Previ na justificativa na venda de Tangará que investimentos em imóveis rendem até 20% a.a.

Anônimo disse...

Acerca desse minguado superávit de 2012, pouco mais de um bilhão, penso que o patrocinador irá “determinar” que seja incorporado ao fundo que permite a inibição das contribuições. Vale lembrar que os recursos outrora apartados da reserva especial para revisão do plano em 2010 estão permitindo que não haja novas contribuições, do Banco e dos associados, apenas até o final de 2013.

Anônimo disse...

Quero que reduzam a Reserva de Contingência para 15%, pois ai sobra mais dinheiro para nos, mesmo que o Banco fique com a metade! Nao sei vcs, MAS EU QUERO O MEU AGORA!

Antonio Carvalho disse...

Prezado Faraco:
Grato pelo incentivo.
Em breve registrarei meus comentários

Antonio Carvalho disse...

OK.
Sobre o Sauípe sei de tudo de trás pra frente e de frente pra trás.
Sobre os demais assunto darei uma olhada.
De fato imóveis nos últimos registrou elevada valorização, voltando a esfriar no final de 2012 e inicio de 2013. Houve muita especulação e a tendência é estabilizar ou até sofrer reduções.
Abraço,
Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Com relação a este minguado superavit ainda não ouvi qualquer comentário. Quem sabe nas apresentações da PREVI a Diretoria faça algum comentário.
Também acredito que poderá ser usado para isenção de nossas contribuições em 2014 e 2015. Ajuda!
Vamos aguardar.
Abraço,
Carvalho

Antonio Carvalho disse...

Na minha opinião não se deve reduzir o percentual agora. Vale a pena ter mais paciência, pois que, a resolução 26/2008 que determina a divisão com o Banco está sendo discutida na justiça ejá existe um recurso julgado, admitindo que as reservas sejam para redução/isenção de contribuições dos participantes e do patrocinador e o saldo remanescente seja usado para revisão de benefícios, como prevê a lei 109/2001.
Concordo que devemos usar recursos enquanto estamos vivos, principalmente sem ter que entregar parte para o ganacioso e desalmado Banco que juntamente com a PREVI muito contribuiu para a redução de nossos benefícios.
Abraço,

Carvalho