terça-feira, 1 de outubro de 2013

PREVI DIVULGA AMEAÇA AO BET


Li com atenção o artigo da PREVI sobre a iminente extinção do BET, publicado na revista n. 173 – agosto de 2013, título “PÉS NO CHÃO”. Li também comentários que estão circulando nas redes.
Sabemos que o BET é Benefício Temporário. Seu término foi previsto para dezembro de 2014. Em 2010 foram provisionados recurso para nós e para o Banco. Apesar dos recursos provisionados serem suficientes, não há como negar que existem ameaças do BET acabar já em 2013, por força do fraco desempenho da PREVI, o que é notável. Se acabar para nós vai acabar também para o Banco.
Ressalto que, na última campanha, prometeram incorporar o BET. Lembram?  Sabiam que tecnicamente era impossível. Mas, de forma irresponsável, prometeram e venceram a eleição com enganações.  E agora vem com explicações evasivas!
De outro lado, a PREVI em seu comunicado insensível, destaca as vantagens que tivemos, sem nada falar sobre os mais de 30 bilhões que o Banco levou da PREVI de forma isolada, desde 1997. Já divulguei demonstrativos dos valores usados pelo Banco de forma abusiva, mais de uma vez. Além do mais, a PREVI destaca que tivemos benefícios em virtude de sua boa gestão.  Isto não é totalmente verdadeiro. Esquece ou desconhece que  parte do superávit é decorrente de achatamento de benefícios, decorrentes de mudanças de  normas e reajustes incompatíveis. Já demonstrei esta realidade várias vezes, destacando a redução da média dos benefícios a partir de 2000, quando comparados aos de 1997 a 2000.
Continuo consciente das ameaças de extinção do BET no final de 2013. De há muito, acompanho sistematicamente e tenho comentado, mostrando os números da PREVI. Observo que em julho e agosto houve melhoria substancial na rentabilidade da PREVI, se comparados a maio e junho, quando ficamos no fundo do poço. A continuar a média de julho e agosto, teremos chance, sim, de continuar recebendo o BET até 2014. Embora timidamente, a bolsa tem reagido. Vai depender  muito dos reflexos da economia internacional, mormente a dos Estados Unidos.
Lembro-me que no ano passado a PREVI divulgou idêntica mensagem, com ameaça de acabar o BET em 2012. Não tenho bola de cristal, não posso e não devo criar falsas expectativas, mas, a exemplo de 2012, continuo acreditando que teremos o BET até dezembro de 2014. Tomara DEUS que minha análise empírica e percepção superficial estejam mais uma vez corretas, para amenizar a angústia, ao menos parcial, de milhares de colegas. Nosso orçamento será reduzido em 24%, sendo, 20% do BET e recolhimento de 4% para a PREVI. Possivelmente esta angústia não atinge dirigentes do Banco e da PREVI que recebem benefícios elevados, privilegiados e irregulares, descumprindo Estatutos, Regulamentos e decisões da PREVIC.
Enquanto isto insisto na necessidade de coletarmos assinaturas no abaixo assinado em apoio ao PDS 275/2012, que objetiva cancelar artigos abusivos da Resolução 26/2008, que, ferindo a LEI 109/2001, permitiu a PREVI repassar R$ 7,5 bilhões para o Banco em 2010. Se contássemos com este valor, teríamos nossos benefícios revisados como manda a Lei, ou ao menos o nosso BET poderia durar até 2019. Como já disse em mensagens anteriores: Existe Turbulência no AR. VAMOS APERTAR O CINTO!
Continuarei acompanhando e divulgando informações a respeito.
Participe e adicione meu blog: ajccarvalho.blogspot.com.br/
Abraço,

Carvalho.

7 comentários:

Herminio Sobrinho disse...

É isto, caro Carvalho. Como você, sou um esparançoso e otimista por natureza. Ainda acredito na continuidade do BET. Temos que buscar alternativas para a sua sobrevida até 2014. Os nossos representantes eleitos devem se posicionar e buscar junto com o patrocinador quais os caminhos possíveis para amenizar, caso haja déficit, a situação caótica na qual estará atolada a maioria expressiva dos participantes. Esta reportagem da revista PREVI é uma demonstração, mais uma vez, da deficiente capacidade de comunicação da direção com os seus participantes. Só sinalizam com a catastrofe; não apresentam a possibilidade da esperança. É como se a doença fosse terminal. TRISTE E CRUEL. Agora, mais do que nunca, as nossas entidades representativas tem que pressionar por soluções, apresentando alternativas e dialogando com a direção da PREVI. Não podemos ficar inertes.

Antonio Carvalho disse...

OK, meu caro Hermínio. Enquanto isto vamos continuar colhendo assinaturas em apoio ao PDS 275/2012. É muito importante e necessário. Aí em Natal meu irmão Pedro Carvalho do BNB está colhendo assinaturas. Vamos mostrar nossa força no Senado em audiência pública que em breve será realizada.
Abraço,
Carvalho

Anônimo disse...

Eu acho que a PREVI tá blefando. Ninguém tem bola de cristal. Mas, acredito que o Bet será efetivado. Esperem para ver. Ano eleitoral, hum,,,,,

Anônimo disse...

Uai! Sumiu do site ds PREVI a notícia sobre o fim do BET, " PÉS NO CHÃO.

Cláudio Augusto Falco disse...

Carvalho,

Como um dos primeiros a incentivar você a oferecer também a opção da assinatura de sua Petição via on-line, e, acompanhando a evolução das assinaturas após as inclusões em seu blog da sugestão de, o fazerem também via internet, sugiro que coloque em todos os seus novos post's um chamamento à pratica na forma do colocado em seu post de 25 de setembro de 2013.

Obrigado, amigo, pela sua iniciativa e trabalho.

Anônimo disse...

Amigo Carvalho, infelizmente tudo esta se repetindo. Com o endividamento dos aposentados, a PREVI(Banco/Governo) ameaça retirar mais algumas migalhas de quem já não tem, inventa uma consulta aos beneficiários do plano 1 e abocanha mais alguma coisa. Desta vez imagino que, fatalmente, seja baixar de 25% para 15%, ou menos, o fundo de reservas para que fechemos no azul e o Banco leve mais alguns favos de bom mel para ele e péssimo para nós.

Anônimo disse...

Falta união entre os aposentados e o pessoal da ativa. Num movimento grevista como este, era para aproveitar a ocasião e mostrar a sociedade o que tão fazendo com o nosso plano. Porque em breve são eles que estarão em nosso lugar. Se ainda existir o PB1, é claro.