terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

PREVI - EX-DIRETOR DIVULGA INVERDADES


Está circulando nos grupos e redes sociais um artigo do Ex-Diretor de Benefícios da PREVI, Ricardo Sasseron, tratando das negociações e acordos feitos entre a PREVI e o Banco.
É no mínimo ridículo o comentário feito sobre as relações do Banco com a PREVI envolvendo os participantes. Vejamos:
1 – Ele fala em uso de superávits para melhoria de benefícios: A verdade é que melhora para algum grupamento. Via de regra beneficia os que recebem mais. Ao tentar corrigir injustiça, acabam criando outras injustiças, num ciclo injusto e vicioso.
2 – O cálculo pelo novo estatuto é melhor, diz Sasseron: A verdade é que todos foram prejudicados, em especial pela criação da Parcela Previ. Foi menos prejudicial para as comissões mais elevadas. Para os Postos Efetivos e Caixas, por exemplo, o novo estatuto foi altamente prejudicial. O benefício médio corrigido em 1999 é cerca de R$ 13.000,00. Em 2013 o benefício médio é cerca de R$ 7.500,00. O teto de 75%, elevado para 90% não interferiu nos benefícios da grande maioria que ganha menos. Registro que existem descasamentos entre reajustes dos ativos e dos aposentados. No período de 1999 a 2004 os benefícios foram reajustados em percentuais bem maiores do que os salários dos ativos. Quem se aposentou neste período teve benefícios achatados. De forma inversa, no período de 2005 a 2013 os ativos tiveram reajustes de 54% maior que os aposentados. Estes fenômenos trazem distorções dos benefícios e injustiças, a depender da época em que cada colega se aposenta. No estatuto anterior os reajustes dos benefícios eram iguais ao dos salários dos funcionários da ativa.
4 – O Sasseron diz que em 2000 os sindicatos na Justiça impediram repasse de recursos para o Banco. Realmente houve ações judiciais, mas, em 2006 os sindicatos fizeram acordo, extinguiram o processo e o Banco levou R$ 2,3 bilhões. O Sasseron não comenta.
5 – Destaco que em 2010 o O Banco não assumiu o BET dos pré-67, descumprindo o acordo de 1997. Desta forma levou cerca de R$ 2 bilhões das reservas da PREVI. O Colega Sasseron nada comenta a este respeito.
Finalmente, a grande verdade é que se fosse cumprida a Lei não seriam necessárias negociações e nem acordo que ilusoriamente nos são apresentados como vantajosos. Muito menos seriam necessárias tantas ações judiciais que oneram bastante a PREVI.
Abraço,
Carvalho

sábado, 8 de fevereiro de 2014

PREVI E OS APOSENTADOS ?


Prezado Anchieta:

Muito bem colocado o seu comentário divulgado na REDE SOS  com o título - PREVI e OS APOSENTADPS ?- tratando sobre a falta de alternativas em relação ao BET e as discriminações e descaso da PREVI. Neste sentido, entendo que:
- De fato a PREVI poderia e deveria buscar alternativas para amenizar o desespero da maioria dos aposentados, diante da extinção antecipada do BET, pois, o previsto era durar até o final de 2014;
- O simples adiamento dos empréstimos por 60 dias não ameniza em nada. Ademais, nem todos tem empréstimos na PREVI;
- Foram feitas mais de 10 mil solicitações para a PREVI buscar alternativas, mas esta, até o momento, sequer tomou conhecimento das demandas;
- De outro lado, circularam informações de que a PREVI discorda que os ativos usem suas poupanças formadas com recursos do BET para pagamento de contribuições;
- Diferentemente, o Banco usa os valores depositados a seu favor, quando e como desejar. Já se comenta que o Banco vai usar para ajuste do Teto dos estatutários, aprovado em 2008, ainda não implantado;
Fica evidente,  mais uma vez que, eleitos e indicados pelo Banco estão do mesmo lado, ou seja, advogando em causa própria com relação ao Teto e virando as costas para os participantes quando se trata do BET.
Para começar a mudar esta situação temos uma importante arma: O VOTO. Acredito que, ativos e aposentados, saberão usar o VOTO na próxima eleição.
Abraço,
Carvalho

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

ELEIÇÃO PREVI - AGRURAS DE PAI E FILHO

Abaixo mensagem que recebi de Victor e Rubens que solicitaram seja divulgada.
Abraço,
Carvalho

“De logo quero pedir que esse e-mail seja distribuído para o Brasil. 
Victor Muhana, aposentado, 88 anos, PREVI-Plano I e Rubens Viana Muhana, PDVista, sentimos pelos e-mail´s que recebemos, que a situação é realmente caótica com alguma certeza de agravar-se.
Diante disto julgamos que se tornam indispensáveis providências bem antecipadas com o objetivo de que nas próximas eleições todos estejamos unidos em torno de um Nome sabidamente honesto, capaz e integrado a todos os problemas da PREVI, que tenha acuidade para formar uma chapa que lhe auxilie efetivamente na nova administração.
Agruras de pai e filho.

Victor Muhana
9.522.680-X

Rubens Viana Muhana

8.853.910-5”