segunda-feira, 28 de julho de 2014

EMPRÉSTIMO SIMPLES - SUGESTÃO PARA A DIRETORIA




Colegas:
Abaixo, sugestão que enviei para a Diretoria de Seguridade da PREVI com cópia para os demais Diretores e Conselheiros. Sabemos que não é solução mas, se aprovada, pode amenizar a situação dos milhares de colegas que não puderam optar pela renovação do empréstimo. 
Reafirmamos que a decisão é colegiada e é de competência da Diretoria, a partir de proposta apresentada pela Diretoria de Seguridade.
Abraço,
Carvalho.

"Prezado Senhor,
Marcel Juviniano - Diretor de Seguridade
Cópia para os demais Diretores e Conselheiros Deliberativos.

1 - As melhorias aprovadas para renovação dos empréstimos simples, cujas demandas são relevantes, conforme divulgado no site da PREVI, não permitem contemplar a totalidade dos participantes. Diante de inúmeras manifestações, descontentamentos e angústias divulgadas nas redes sociais e solicitações enviadas à Diretoria e a este Conselheiro, apresentamos, abaixo, sugestão para amenizar a situação financeira dos 17% dos participantes com empréstimo simples não contemplados. Muitos colegas que recebem benefícios do INSS sem trânsito pela folha da PREVI informam que as contribuições para a CASSI sobre aqueles benefícios estão impactando a margem. Outros estão se desligando de associações, para reduzir despesas. Muitos ameaçam ingressar com ações na Justiça.
2– PROPOSTA:
Diante da situação, permita-nos sugerir o estabelecimento de parâmetros para composição do saldo devedor dos participantes que desejarem ajustar a capacidade de pagamento, reduzindo o valor da prestação em até 25% e consequente elevação do prazo, sem aumento da dívida. Nestes casos, novos empréstimos somente seriam concedidos mediante liquidação da composição.
Exemplos hipotéticos:
A - Saldo devedor R$ 80.000,00, prestação R$ 800,00, prazo 100 meses.  Admitir a redução da prestação para até R$ 600,00, elevando o prazo para até 133 meses.
B- Saldo devedor R$ 90.000,00, prestação R$ 1.000,00, prazo 90 meses. Admitir a redução da prestação para até R$ 750,00, elevando o prazo para até 120 meses.
3- JUSTIFICATIVAS:                    
A - A partir de janeiro de 2014 a margem consignável foi reduzida em mais de 15% da apresentada em dezembro de 2013, em virtude da volta de cobrança das contribuições. Não justifica dizer que o reajuste salarial de janeiro neutraliza os efeitos das contribuições. Reajustes existem para recompor o poder de compras, com base na inflação;
B – Embora não impactando a margem, a extinção antecipada do BET afetou o orçamento dos assistidos, como são chamados os participantes aposentados e pensionistas.
C – Lembramos que Instituições financeiras e Cooperativas fazem composições para recuperar os seus clientes. Na PREVI ao invés de clientes somos participantes, verdadeiros donos dos capitais investidos. Destacamos que a rentabilidade dos empréstimos é das melhores, com liquidez garantida e inadimplência próxima de zero.
D – A continuar desta forma, os que não puderem renovar empréstimos ficarão com as prestações em descompasso com a margem admitida no regulamento do plano. Muitos ingressarão com ações na justiça que, além de desgastes, vai obrigar a PREVI a ter despesas com advogados, podendo até gerar inadimplência.

Atenciosamente,

Antonio Jose de CARVALHO
Conselheiro Deliberativo."

27 comentários:

Anônimo disse...

Rogo a Deus que sejas atendido, Carvalho, obrigada pela perseverança e por se interessar pela causa dos endividados independente de sermos maioria ou minoria.Deus lhe ilumine sempre.

Valdevino disse...

Prezado Carvalho,
Obrigado por ter apresentado uma proposta "realista" que não traz prejuizos entre as partes e garante o retorno do capital emprestado à Previ.
Parabens pelo seu incansavel trabalho em nossa defesa.
Valdevino

Anônimo disse...

Acho que vai melhorar, se forem adotadas as providências propostas. Mas fecharia o acesso a novas operações por bastante tempo.

tarcisio augusto bulhoes martins disse...

Carvalho, bom dia. Entendo ser muito boa essa sugestão sua, principalmente para aqueles que como eu, INSS não transita pela fopag. Evidentemente pela ausência de margem consignável. Dito isto, gostaria da opinião do amigo,dentro do possível,sobre ação dos 30%. Um grande abraço e que Deus recompense o seu esforço em favor dos VELHINHOS TRAMBIQUEIROS(sabedoria SANCERONICA). Du minerim discunfiado sô. Tarcísio.

Anônimo disse...

PREZADO cARVALHO

Além da perda do Bet, surrupiado pela turma do P.T, deve-se lembrar da situação dos autopatrocinados, quando a contribuição mensal aa PREVI passa a ser em DOBRO.

Palmas para o governo de São Bernardo do Campo.

Conseguiu superar até o desgoverno de F.H.C.

Juarez Barbosa disse...

Prezado Carvalho,

Parabéns pela iniciativa.

Aproveito para comunicar-lhe a reabertura de meu Blog. Segue o link:

http://previpb1.blogspot.com.br/

De uma passadinha por lá.

Um fraterno abraço.

Anônimo disse...

Carvalho,agradeço seu empenho em ajudar aos que ficaram de fora do ES, justamente quem mais necessitava de um alivio financeiro, será muito desgastante ter que procurar a justiça para o enquadramento dos 30%,acredito que a Previ terá bom senso em ajudar os seus assistidos.

Valdevino disse...

COLEGAS, SUGESTÃO PARA QUEM TEM 02 ES “ES A” E “ES B”:
SE TENTAR RENOVAR INCLUINDO OS 2 EMPRÉSTIMOS O LIMITE DISPONIBILIZADO É INFERIOR AO SALDO DEVEDOR, TORNANDO-SE INVIÁVEL A RENOVAÇÃO.

NO ENTANTO, EM ALGUNS CASOS, COMO FOI O MEU, SE OPTAR POR LIQUIDAR SÓ O “ES A” DE MENOR SALDO DEVEDOR, SEM INCLUIR O DE MAIOR VALOR, PODE OCORRER A DISPONIBILIZAÇÃO DE VALOR QUE COMPENSA A RENOVAÇÃO.

VEJAM O MEU CASO:
ES A – PREST. 192,19 – PRAZO: 108 – PAGAS: 03 – S.DEVEDOR 13.865,81
ES B – PREST. 1.749,43 – PRAZO: 108 – PAGAS 02 – S. DEVEDOR 124.318,74.
MARGEM CONSIGNAVEL DISPONIVEL: R$ 72,17.
Opção 1:
Quando incluo os dois ES para renovação o limite disponível é de 135.000, portanto, inferior ao saldo devedor total. (Inviável).
Opção 2:
Quando opto só por liquidar o ES A, de menor valor:
Limite disponível: 17.000,00 – saldo devedor a ser liquidado: 13.865,81.
Não é o que queremos, no entanto, pode funcionar como um analgésico para a dor de cabeça.
Caso alguém consiga gostaria que retornasse.
Abrs
Valdevino

Anônimo disse...

Pessoal, vcs devem mesmo estar muito angustiados como eu...mas é claro que esta sugestão não vai resolver, a prestação vai baixar muito pouco e não poderemos mais fazer empréstimo para o resto da vida.Agradeço mesmo a atenção do Carvalho em tentar fazer algo, mas isso tbm não vai resolver. Até o nosso pequeno aumento de salário em janeiro, o que resolveria é ficar sem pagar o ES até dezembro qdo seria do término do Bet. Seia menos pior. Obrigada da mesma forma Carvalho.

Anônimo disse...

REALINHAMENTO BENEFÍCIO, PARCELA PREVI, ETC
Não se questiona o esforço do Sr. Ari, Medeiros e Carvalho, no entanto, mesmo lutando pela melhoria do benefício, Parcela Previ, realinhamento, etc, sabemos que são coisas a longo, longo, longo prazo, senão, vejamos:
O (Sem nador) Pimentel, com quem tive a tristeza de trabalhar, na audiência pública da Resolução CGPC 26, comprometeu a apresentar um relatório técnico sobre o assunto (sabe quando) meados de 2.015 (As duas casas do congresso não vão trabalhar até as eleições de outubro, nem mesmo tratarão dos assuntos pautados, e,
muito menos de nossos interesses).
De outra parte, a cadeia improdutiva de aprovação é extensa: Diretoria Previ > Seguridade > Previc > BB.................até dois mil e não sei quanto.
Única coisa que nos resta é contar com a compreensão da diretoria da Previ concernente aos assuntos que são de sua alçada. Sendo última instância os assuntos tratados não seriam submetidos a órgãos superiores. A dúvida é se querem ou não entender nossas dificuldades.

Anônimo disse...

Caro Dr. Carvalho.
Sugestão para o ES Previ:
Para que ocorra involução do Saldo Devedor,
É preciso que a Parcela Mensal seja MAIOR que o débito do FQM+Juros+INPC.
Do contrário teríamos evolução descontrolada do Saldo Devedor.
Bom seria o débito do INPC apenas em Janeiro, sobre a média do Saldo Devedor,
A exemplo da Correção dos Benefícios pelo INPC em Janeiro.
Ou Juros de 3% a.a. + INPC todo mês.
Qualquer das formas diminuiria o nefasto impacto de encargos.
Devemos considerar a Idade do Assistido, ajustando Capital/Prazo/Parcelas na MC.

Capital Pzo FQM0,70 Jrs0,25 Inpc 0,50 Pma1,10% Saldo
160.000 $95,00 400,00 800,00 1.760,00 159.535,00
(A Previ que complete os campos em branco)
Considerando mudanças de Juros de 6% para 4 ou 3% a.a., ou débito do INPC somente em Janeiro, é possível PMA de 1,10% a 1,20% do Capital.

Marcelino Maus
F6752890

Anônimo disse...

Carvalho,
Boa noite,

Encaminhei-lhe correspondência com AR, via PREVI, em 02/06/14 e até hoje não tive o prazer de ler sua resposta.
Voce poderia, por favor, verificar isto?
Obrigado
CELSO BERNARDES
FORMIGA-MG

Anônimo disse...

Carvalho, será que não existe uma maneira de provocar os candidatos a presidência da república a dar as suas opiniões sobre a situação dos aposentados no Brasil? Essa faixa do eleitorado, os aposentados, tem um peso muito grande nas eleições, e acredito que nenhum candidato há de ignora-los. Se pudéssemos fazer com que eles declarassem em público o que pretendem fazer para melhorar os defasados benefícios dos velhinhos, seria mais fácil cobrar depois ou sabermos em quem votar. Não acha?

Anônimo disse...

Eu também agradeço seu empenho em querer ajudar de alguma forma o que me deixa muito confiante em você.Mas a redução de 25% da parcela do ES não vai resolver porque a situação em que se encontram os endividados não decorre apenas do ES mas do fato da Previ ter autorizado outros débitos consignados como Cooperforte e Alpha que somados ao ES totalizam mais de 60% da renda.No meu entendimento os eleitos deveriam cobrar (não sugerir) o cumprimento da lei dos consignados que determina que a soma de todos os consignados não pode ultrapassar 30% da renda.É uma questão de dignidade a Previ tomar essa atitude espontaneamente

Juarez Barbosa disse...

Prezado colega Carvalho,

Assim que obtiver resposta da Diretoria de Seguridade, se possível, publique-a em sua íntegra em seu Blog, ok.

Um fraterno abraço

Anônimo disse...

Colegas, Vamos cobrar respostas da PREVI, já passaram-se dez dias.

Marco Orlando disse...

Carvalho,

Publico abaixo, resposta da ANABB ref. meu pedido de LIQUIDAÇÃO PROVISÓRIA POR "Valores Incontroversos" de minha ação IR 1/3 PREVI.
Amigos me informaram que os advogados não tem muito interesse em interpor tal medida, uma vez que só vão receber a "sucumbência" na liquidação definitiva da ação". É verdade?
Sugiro que todos os colegas solicitem a ANABB a adoção da medida de liquidação via valores Incontroversos, como forma de aliviar as dificuldades que passamos no momento.
Marco Antonio Orlando

Sua resposta foi postada para o seu tema de interesse no Sistema de duvidas do site ANABB.

Pergunta:
Solicito resposta aos protocolos abaixo: 203884 de 18.07.2014 as 11:31 e 203885 de 18.07.2014 as 11:37 Grato. Marco Antonio Orlando

Resposta:
Prezado Marco, em atenção a seu contato, informamos que respondi seu mensagem de protocolo de nº 203885, com o seguinte teor"informamos que sua ação de IR 1/3 Previ, processo nº 200834000197007, já houve o trânsito em julgado da decisão do acórdão da apelação. Dessa forma, a ação entrou na fase de execução, momento processual em que são realizados os cálculos para apuração do valor e liquidação da sentença. Informamos ainda, que a União ajuizou a ação de Embargos à Execução, a qual se presta para discutir cálculos, como por exemplos os juros aplicados, o índice de correção, entre outros. Sendo assim, a execução será suspensa até o julgamento em definitivo dos Embargos. Por fim, esclarecemos que já enviamos solicitação ao advogado da ação para que analise a possibilidade de solicitar a liquidação provisória de valores incontroversos. Portanto, orientamos aguardar." Agradecemos seu contato.

Atenciosamente, Joyce Barbosa
Atendi mento ao Associado
ANABB/VIREF

Rosalina de Souza disse...

Prezados Eleitos da Chapa 3 Previ Livre Forte e de Todos,

E agora que o período eleitoral terminou como superar todo possível mal-estar que possa ter surgido entre eleitores aposentados e pensionistas do PB-1 e do Previ Futuro? Certamente creio que nesse momento, todos nós, devemos voltar nosso olhar para nossos reais problemas e as propostas de campanha, superando todo espírito de crítica, de divisão e recomeçar nossa vida a partir da dura realidade, com a perca do Bet, a volta das contribuições e o fim da Esperança nas melhorias do Empréstimo Simples, que apenas acertou as prestações que ficou sem ser debitada entre janeiro a junho de 2014.

É lógico que o espírito de críticas, de divisões é algo próprio da cultura atual, cultura essa formada principalmente pelo que nos dita uma parte dos nossos problemas, endividados, não endividados, pré ou pós, formula 170, agora os pós 87, sabemos bem que esses, na maioria das vezes, só conseguem passar uma imagem pessimista da realidade, pois só se interessam em transmitir escândalos, tragédias e futilidades.

É algo evidente que em certos meios de comunicação social há uma exclusão voluntária do bem, bem esse que é real, feito pela minoria dos nossos dirigentes ou blogueiros, na maior parte da nossa vida e que, infelizmente, não fazem uma notícia boa para os nossos problemas, Infelizmente, nos nossos dias, muitas vezes o sensacionalismo sufoca a verdade e nossos aposentados e pensionistas,em especial do PB-1 da Previ, pode ceder à tentação ao pessimismo, ao espírito de crítica e divisão, que por si mesmo é estéril e incapaz de transformar a realidade.

Gostaria que um porta voz neste encontro em Balneário Camboriú, olhando essas opções, talvez possamos entender que a escolha dos nossos Eleitos não é algo simples e automático.

Dessa forma vemos que se um dirigente eleito se pronuncia, é criticado, se não se pronuncia, também é criticado.

Em uma ou outra situação esse corre o risco de ser impopular e de decepcionar um grupo ou vários grupos que existe dentro da nossa Previ.

O Renda Certa era para ter sido pago em 110 meses, mas em um ano e meio foi pago valor integral a todos os BENEFICIADOS OU MILIONÁRIOS, e nem por isso a Previ quebrou.

Somos sempre roubados a luz do dia, e não podemos ter uma revisão justa nem mesmo em um dos melhores investimentos que a Previ faz, a volta das contribuições e as aplicações da Previ não rende o suficiente para equacionar o deficit que muitos dizem ser passageiro, ou nossos eleitos estão escondendo muito mais informações que a própria lei da confidencialidade pode sub julgar a nossa inteligencia.

benefícios para os associados:

a) Redução da Parcela Previ
b) Suspensão das contribuições
c) Aumento do teto de benefícios de 75% para 90%
d) Revisão da proporcionalidade da Parcela Previ
e) Criação do Benefício Especial Temporário (BET) de 20% sobre os complementos de aposentadoria e pensão.

Entre 2006 e 2010, o teto de concessão de empréstimos simples aumentou de R$ 25.000 para R$ 100.000 e o prazo máximo aumentou de 48 para 96 meses,na gestão do Marcel J.Barros passou para 145.000 em 120 meses, com a formula 170 que exclui os mais idosos de ter os mesmos direitos dos mais jovens, pode se verificar que para os que tem mais de 60 anos piorou as condições de contratação do empréstimo simples.

As propostas apresentadas até o momento não atende um segmento do PB-1 mais endividado, não resolve os problemas e cria insegurança jurídica, porque mais e mais aposentados e pensionistas vão buscar enquadramento na limitação dos 30%, garantidos na lei que é ignorada dentro da DIREÇÃO E DOS CONSELHOS DA PREVI.

Ainda estamos em tempo de consertar esta situação que vai aumentar a insatisfação dos assistidos da Previ.

Por fim sugiro mudanças urgentes, uma solução deve ser encontrada para os colegas em situação de penúria total, os eleitos nos deve uma solução imediata e conclusiva para por fim a esta situação criada com o voto favorável dos integrantes da chapa 3.

Atenciosamente

Rosalina de Souza
Pensionista
Matricula 18.161.320-4

Anônimo disse...

Obrigada Rosalina de Souza. Eu estava aqui cancelando Capec, Afabb e etc... e fiquei um pouco mais animada com seu comentário no blog...eu estou tão angustiada que não consigo nem postar e vc escreveu tudo muito bem, pela primeira vez na minha vida, eu acreditei mesmo em uma eleição, na chapa 3.

Antonio Carvalho disse...

- Tenho recebido vários comentários no blog e e-mail, em especial sobre o empréstimo simples que é o assunto mais presente. Noto que muitos concordaram com a sugestão que enviamos à Diretoria. Igual a muitos que se pronunciaram também entendo que dívidas não resolve os nossos problemas e pode até piorar. A sugestão que apresentei foi para reduzir a prestação com elevação do prazo, sem aumentar o saldo, podendo amenizar a situação em especial daqueles que nãos dispõe de margem para renovação neste momento. Apesar da alçada ser da Diretoria, abordamos o assunto na reunião do Conselho do dia 31/07 que recomendou a Diretoria de Seguridade analisar e elevar o assunto ao Conselho. Repassamos outras sugestões oriundas de colegas. Agora resta-nos aguardar a nova posição da Diretoria. Estarei acompanhando e divulgando informações a respeito. Quanto a ação dos 30% não sou advogado e não me arrisco a comentar, mas, informei esta ameaça ao Conselho e disse da insatisfação dos participantes. Informo que vou ao Rio somente uma vez por mês. Vou resgatar a correspondência que me foi enviada através da PREVI.
Com relação ao posicionamento de candidatos sobre a aposentados está previsto um evento promovido pela ANABB que vai convidar candidatos. É bom sugerir a ANABB que aborde o tema relacionado aos aposentados.
-Rosalina - (01-08-18.56 hs)
Concordo muito com sua abordagem. Agora que acabou a eleição é hora de somarmos as forças seguindo o mesmo rumo. Críticas construtivas e sugestões serão sempre bem vindas. Vou pontuar alguns pontos do seus comentários:
- Concordo com a redução da Parcela PREVI até o valor do menor benefício pago pelo INSS para não prejudicar nenhum colega. De 1998 a 2005 todos perderam. Após 2006 muitos se beneficiam mas ainda existe alguns que estão perdendo. Oportunamente vamos lutar nesta direção.
-Suspender as contribuições para quem já pagou 30 anos. Muitos concordam e outros discordam. Vejo com bons olhos. Carece de estudos mais aprofundados e vamos pedir para que sejam feitos.
- Atualmente já existem 2 tetos: 90% sobre os proventos totais ou 136% do VP + anuênios e a Previa adota o maior. Nossa luta continua para implantar o teto para os estatutários aprovado desde 2008. Mesmo com a grande demora e discordância do Banco, acredito que mais cedo ou mais tarde será implantado, pois, estamos diante de decisão da PREVC e estamos cobrando o cumprimento. É a bola da vez.
- A rigor, o BET nem era para ter existido. Caso fosse cumprida a lei 109/2001 em 2010 teríamos tido reajuste em torno de 15% e hoje não estaríamos nesta discussão e angústia. A Resolução 26/2008 atropelou a Lei e agora nos resta continuar lutando na justiça e senado, a exemplo do PDS 275/2012. Para Qualquer programa de melhoria de benefícios é necessário que existam reservas especiais. Neste momento não existem, pois o superávit atual é inferior a 25% da reserva matemáticas, exigido para compor a reserva de contingência. De qualquer forma, havendo reservas, somente se pode discutir após o fechamento do balanço de 2014, a ser feito em dezembro.
Finalmente, já estamos trabalhando nestas e em outras frentes. Continuaremos lutando, mesmo diante das barreiras que estamos encontrando, conforme registramos em nossa campanha. Precisamos continuar contando com a compreensão, sugestões e apoio de todos, independente de chapas e de partidos políticos.
Abraço,
Carvalho.

Rosalina de Souza disse...

Prezado Colega Conselheiro Carvalho,

Esclarecimento:

Tradicionalmente a Previ sempre manteve suas taxa de juros abaixo das taxas de mercado, diga-se Bancos, o que muitas vezes não é percebido pelo aposentado e pensionista devido ao tipo de capitalização feita em seus produtos e seguros embutidos para preservar a liquidez da Previ. Deve-se levar em conta que a Previ não produz lucro, mas o atuarial , que é a diferença liquida para compor os ativos da Previ.

NOTA: O Emprestimo Simples aumentou muito em termos de teto, hoje em 145.000 e limitou o prazo final em 120 meses, 10 anos com limitação dentro da formula 170.

Veja meu exemplo:

Devo de ES 86.547.67 atualizado em 03/08/2014.

Se for renovar nas novas condições minha margem é de 1.307,08, abrindo um novo credito de 88.000.00 ( Flexibilização) hoje posso renovar em 108 meses, estou com 68 anos de idade.

Ficarei com 108 prestações de 1307,08 e receberei de troco da Previ 1.337,08.

A Previ recebe todas as prestações a vista que fiquei sem pagar entre janeiro e junho de 2014, acerta o caixa e capitaliza ainda mais juros e correções em cima da minha dramatica situação financeira.

Tenho margem que suporta a renovação, mas eu pergunto ao colega conselheiro, iguais a mim, são muitos, que renovando recebe migalhas da Previ entre 1.000 e 3.000 reais.

Ilustração real, com autorização para usar meu espelho como prova.

Melhorias urgentes no Emprestimo Simples.

1) O dinheiro que a Previ utiliza provem dos donos da Previ ou assistidos, a vista, a custo “zero”, fora a taxa de administração recebida em todas as renovações ou contratações.

2) Temos condições de resolver este problema, com soluções do ponto de vista humano e do atendimento aos colegas em situação de penuria total e grande desespero, sua proposta de alongamento dos prazos é o remedio na doze certa, não queremos dinheiro novo, meu limite de emprestimo disponivel hoje é de 57 mil reais.

3) As taxas dos bancos atualmente divulgadas não são reais, isto é, não valem para todos os casos. As taxas mais baixas indicadas seriam aplicadas em financiamentos de bens (automóveis p.ex) se ocorrer o pagamento de mais de 50% do seu valor e o prazo de pagamento do financiamento for de até 6 meses. E assim segue uma escala de taxas variáveis conforme o perfil do correntista e o prazo de liquidação. A taxa sobe a medida que o prazo se alonga, mas a Previ a gestão dos recursos são feitas a longo prazo, estudos são eleborados e resultados apresentados, o limite legal a modalidade de emprestimo ao participante 15% dos recursos é usado muito abaixo, desta realidade.

Creio que um pouco de boa vontade, aliado ao real problema de muitos colegas, faz sentido uma revisão do produto Emprestimo Simples, acredito que o Conselho Deliberativo tem meios internos de si fazer intender que os participantes do PB-1, busca uma solução para esse problema que é antigo, vem de varias gestões e que com boa vontade, pode sanar de vez com esta situação de pedintes todos os anos.

Todos nós queremos é melhores condições de pagar, não somos caloteiros, mas temos o direito de ser respeitados e para isso é necessário o alongamento do perfil das nossas dividas, restando infrutifera esta revisão, não faz sentido repetila nos proximos anos, esta questão tem que ter fim, até mesmo para que os Senhores possa debruçar sobre outros assuntos também de igual importancia, as despesas administrativas deve ser o próximo alvo chave.

Não concordo e não aceito que essa flexibilização tenha sido uma revisão, porque não houve fato novo, apenas foi feito um acerto para recebimento das parcelas não pagas, e mais uma vez a Previ usa de Malandragem ou Maquiagem ou Contabilidade Criativa para receber dos mutuários suspensos, e pior ainda foi que não se observou que a margem consignável também diminui com a volta das contribuições, neste aspecto para as pensionistas não se altera em nada vista que nós não contribuímos mais para a Previ, em compensação recebemos apenas 60% de complemento da Previ.

Anônimo disse...

Relendo a Proposta do Diretor Carvalho em 20/02/2013, percebo que trata-se de estudo com muita percepção das distorções e reais possibilidades da PREVI em realinhar os Benefícios do PB1:

http://acordabb.wordpress.com/2013/02/20/previ-beneficios-sugestoes-reajustes/

Pergunto: algo foi feito nesse sentido?

Se não, tanto cálculo para nada?

É inacreditável que os Diretores do BB e da Previ são trabalhem para si próprios!!!

Grato.

Marcelino
F6752890

Antonio Carvalho disse...

Prezada Rosalina:
A sua situação que Você expõe, acredito ser a situação de milhares de colegas. Apesar da decisão ser da Diretoria, a partir de proposta da Diretoria de Seguridade, registrei no Conselho a sugestão que fiz na Diretoria. Vamos aguardar a decisão ou encaminhamento.
Carvalho.

joseclastodemartelli disse...

Prezado Conselheiro Carvalho,

sou um daqueles que a sua sugestão poderia resolver. Obviamente, sou um dos mais necessitados de solução.

Parabéns e espero que ela sensibilize a PREVI, a qual estou me dirigindo diretamente.

Grato por sua luta em nosso favor.

JCMartelli

FRANCISCO JOSÉ DA SILVA NETO disse...

29.07.2014 email enviado PARA:
PREZADO SENHOR,
IDENTICA CARTA FOI ENVIADA PARA OS SRS. : HERMINIO REPRESENTANTE DA ANABB/RN, AAFBB/RN., A. J.CARVALHO CONSELHEIRO DA PREVI, ENTRE OUTROS.
AINDA ENGAJADOS EM FOMENTAR OS PLANOS DE LUTA NA NOSSA “PREVI CAMPANHA LOGÍSTICA APOSENTADOS PODEM AFUNDAR EM DÍVIDAS”, ASSUNTO JÁ TRATADO EM NOSSAS MENSAGENS ENVIADAS PARA O SR., SEM RESPOSTA ATÉ ESTA DATA, DIZEMOS QUE NESTA SEMANA IREMOS EM COMITIVA FALAR COM O PRESIDENTE DO SINDICATO DOS BANCÁRIOS/RN, PARA QUE COLOQUE NA PAUTA DE SETEMBRO/2014 DA CAMPANHA SALARIAL DOS BANCÁRIOS DO BANCO BRASIL, NOSSAS REINVIDICAÇÕES.
CASO SEJA DO SEU INTERESSE NOS APOIAR, RESPONDAM A RECLAMAÇÃO DETALHADA SOBRE O TEMA DA NOSSA CAMPANHA, QUE FIZEMOS DIRETAMENTE PARA O SEU EMAIL.
SABENDO QUE O SR. RECEBEU OS NOSSO EMAILS, POIS ELAS FORAM ENTREGUES COM SUCESSO NO SEU ENDEREÇO ELETRONICO.
ESPERANDO QUE SR. NÃO FIQUE OMISSO, REITERAMOS OS NOSSOS ELEVADOS PROTESTOS DE ESTIMA E CONSIDERAÇÃO PELA CAUSA QUE PARTILHAMOS EM DEFESA DOS APOSENTADOS DO BANCO BRASIL.
ABS. SILVA NETO – COORDENADOR DA CAMPANHA “PREVI CAMPANHA LOGÍSTICA APOSENTADOS PODEM AFUNDAR EM DÍVIDAS”,
P.S.: TEL PARA CONTATO (84) 3317-4446, CEL (84) 9150-8664

FRANCISCO JOSÉ DA SILVA NETO disse...

LOGÍSTICA APOSENTADOS PODEM AFUNDAR EM DÍVIDAS 2

SENHOR REPRESENTANTE DOS APOSENTADOS - ANABB/RN

ONTEM REMETI CARTA PEDINDO EXAME DA NOSSA SITUAÇÃO E CONCLAMANDO TODAS INSTITUIÇÕES REPRESENTATIVAS EM DEFESA DO PARTICIPANTE APOSENTADO DA PREVI.

SEM RESPOSTA, E, MESMO QUE TIVESSE SUA RESPOSTA NÃO DEIXARIA DE FAZER O QUE NÓS APOSENTADOS DO BANCO DO BRASIL DE MOSSRÓ, VAMOR PROVIDENCIAR HJE.

POR ENQUANTO O NUMERO DE APOSENTADOS É PEQUENO,MAS VAMOS REUNIR-NOS HJE, EU FRANCISCO JOSÉ DA SILVA NETO, JOSÉ ADEILDO PEREIRA, FRANKLIM, DAMIÃO, CARLOS SILVA, E VÁRIOS OUTROS, NO SINDICATOS DOS FUNCIONARIOS DO BANCO DO BRASIL, REGIÃO OESTE DOI RN, NUMA CAMPANHA EM NOSSA PRÓPRIA DEFESA, PARA QUE NOS REPRESENTEM PERANTE A PREVI, PEDINDO PROVIDENCIAS PARA MUDAR AS POLÍTICAS DO EMPRÉSTIMO SIMPLESTE, IGUAIS OU MELHORES AS SUGERIDAS NA CARTA QUE LHE MANDEI, IMPLEMENTANDO NOVAS MEDIDAS QUE NOS AUXILIEM A MELHORAR A NOSSA QUALIDADE DE VIDA EM FUNÇÃO DA FILOSOFIA DOS ESTATUTOS DA PREVI EM DEFESA DOS NOSSOS CAPITAIS MUTUADOS, SIM, PORQUE OS VALORES DOS EMPRÉSTIMOS PERTENCEM AOS PARTICIPANTES. DETALHES DESSA TESE É DO CONHECIMENTO DO CONSELHO DELIBERATIVO DA PREVI.

CASO QUEIRA PARTICIPAR DESSA LUTA CONFIRME, FIQUE OMISSO, OU DISCORDO FUNDAMENTANDO O SEU PARECER.

APÓS A REUNIÃO NO SINDICATO, TIRAREMOS UMA NOVA RECLAMAÇÃO A PREVI, ALÉM DA CARTA QUE LHE REMETEI E MANDAREMOS TUDO PARA O CONSELHO DELIBERATIVO DA PREVI PARA QUE SE POSICIONEM A RESPEITO DO ASSUNTO, PORQUE OS DE DEPARTEMENTOS GEBEN, GESOP E OUTROS GES NÃO TEM PODER DE DECISÃO PARA RESPONDER POR ASSUNTO TÃO SÉRIO COMO ESSE QUE MASSACRA PSICOLOGICAMENTE TODOS APOSENTADOS PARTICIPANTES DA PREVI.

DEPOIS, MAS TÃO RAPIDAMENTE COMO VC ESTÁ LENDO ESTA, SEM OBTER MUDANÇAS FAVORÁVEIS AO PROBLEMA QUE ESTAMOS ENFRENTANDO, JÁ COMENTADO AMPLAMENTE EM NOSSA CARTA ANTERIOR QUE ECOA EM TODOS OS RECANTOS DEESE PAIS DE APOSENTADOS, INCLUSIVE A EXEMPLO DAS PRÓPRIAS RECLAMAÇÕES FEITAS PELO ATUAL CONSELHEIRO J. CARVALHO, MANDAREMOS NOSSA RECLAMAÇÃO PARA O PRESIDENTE DA PREVI E, DEPOIS DE SE PRECISO PARA ÁREA JURÍDICA DO MINISTÉRIO PÚBLICO QUE TRATA DE ASSUNTOS DO IDOSO, QUEM SABE, SE PRECISO IREMOS ATÉ O PLANALTO FALAR PESSOALMENTE COM A DIGNÍSSIMA PRESIDENTE DA REPÚBLICA, PARA RESOLVER ESSE DESCALABRO QUE VEM ACABANDO COM A VIDA DOS APOSENTADOS, PAULATINAMENTE.

E, PODE TER CERTEZA, A QUESTÃO VAI SER RESOLVIDA, E ENQUANTO EU TIVER VIDA LUTAREI PARA QUE O NOSSO DESSASSOCEGO ACABE.

SENHOR, REPRESENTANTE, SE O SR. CONSULTAR QUALQUER APOSENTADO VAI ESCUTAR QUE NÃO ESTÁ SATISFEITO. QUER SABER MAIS, OS MENOS FORTES ESTÃO ESSA HORA PROCURANDO OU MÉDICO PARA AMENIZAR A DOR OU UM AGIOTA PARA SALVAR-SE NESSE DEUS NOS ACUDA DESSA CIRANDA CRUENTA QUE SE TORNOU O EMPRÉSTIMO SIMPLES.

NA CERTAZA DO ACOLHIMENTO AGRADEÇO ANTECIPADAMENTE, EM NOME DE TODOS OS APOSENTADOS QUE JÁ ESTÃO QOU SE ENGAJARÃO NESSA CAMPANHA.

FRANCISCO JOSÉ DA SILVA NETO - APOSENTADO MATRICULA 3.435.030-6

OBS.: SEGUE ANEXO, COPIA DA SOLICITAÇÃO FEITA A PREVI.

P.S.: C/CÓPIA PARA PARTICIPANTES APOSENTADOS, INSTITUIÇÕES E ENTIDADES QUE DEFENDEM OS APOSENTADOS PARTICIPANTES DA PREVI.

FRANCISCO JOSÉ DA SILVA NETO disse...

EMAIL ENVIADO EM 23.07.2014
SR. HERMÍNIO,

PARABENIZANDO SEU TRABALHO EM DEFESA DOS APOSENTADOS, VENHO, EM NOME DE TODOS APOSENTADOS, SOLICITAR O SEU EMPENHO NA CAMPANHA QUE ESTAMOS INICIANDO EM MOSSORÓ PARA QUE A PREVI REVEJA A SITUAÇÃO EM QUE SE ENCONTRAM OS APOSENTADOS NO QUE DIZ RESPEITO AQUELES QUE TEM EMPRÉSTIMO SIMPLES E IMOBILIÁRIO, PARA QUE MUDEM AS MODALIDADE E OS PARAMETROS DE EMPRÉSTIMOS, POIS TODOS APOSENTADOS ESTÃO AFUNDANDO SUAS RENDAS NESSES EMPRÉSTIMOS.

CLARO QUE É UMA OPÇÃO INDIVIDUAL DE CADA APOSENTADO FAZER OU NÃO O EMPRÉSTIMO. ACONTECE QUE A NECESSIDADE DA MAIORIA DOS APOSENTADOS APONTA PARA ESSA ESCOLHA PORQUE OS PREÇOS DE PRODUTOS E SERVIÇOS AUMENTAM, MES A MES, VERTIGINOSAMENTE E EM TEMPO REAL, AO CONTRÁRIO DA MAJORAÇÃO DOS BENEFÍCIOS PREVI/INSS QUE ACONTECEM ANUALMENTE.

SEM DESCURAR QUE OS AJUSTE DE AUMENTO PRATICADOS PELA PREVI NO BENEFÍCIO/PREVI, BASEIAM-SE NOS ÍNDICES OFICIAIS, SABE-SE QUE AS MAJORAÇÕES DE BENEFÍCIOS DO INSS TAMBÉM O SÃO, ENTRETANTO, DE VEZ EM QUANDO O GOVERNO DETERMINA REVISÃO DO TETO PREVIDENCIARIO AOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS, SEM CONTAR AS AVALANCHES DE AÇÕES INGRESSAS NA JUSTIÇA FEDERAL REQUERENDO REVISÕES DE VALORES,, MUITAS DELAS EXITOSAS.

NÓS APOSENTADOS, SOMOS ASSEDIADOS DIARIAMENTE COM ANUNCIOS DE TODA NATUREZA,DE ASSOCIAÇÕES DE APOSENTADOS, SINDICATOS, INSTITUIÇÕES EM DEFESAS DOS APOSENTADOS, E DE ALGUNS ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA, PROPAGANDO QUE TEMOS DIREITOS A REVISÕES, A EXEMPLO DAS QUE SÃO FEITA NO INSS. TAMBÉM NO BENEFÍCIO DA PREVI.

NÓS, APOSENTADOS, CAUTELOSOS, CONFIAMOS NA CRITERIOSA FORMA COM QUE A PREVI REAJUSTA OS NOSSOS BENEFÍCIOS, O QUE DE CERTO MODO GARANTE CONTINUARMOS RELEVAR ALGUNS PREJUIZOS ORIGINADOS, ULTIMAMENTE DE BAIXOS ÍNDICES DE AUMENTO.

ACONTECE, E O QUE NOS PREOCUPA MAIS, NÃO É SOMENTE O BAIXO ÍNDICE REAJUSTE DOS VALORES DO BENEFÍCIO PREVI, MAS A INSENSATEZ COM A PREVI TRATA OS PARTICIPANTES OFERECENDO EMPRÉSTIMOS COBRANDO ENGARGOS DIFERENCIADOS MAS DISPAR DO CARÁTER COM QUE SE REVESTE A IMPORTANCIA DO
APOSENTADO, POR SER ELE, QUEM MANTÉM A ESTRUTURA FINANCEIRA DA PREVI, APTA A ENFRENTAR SEUS CUSTOS DE TODAS AS ESPÉCIE.

ESTOU QUERENDO ABRIR OS OLHOS DOS COLEGAS APOSENTADOS E, PRINCIPALMENTE DO SR. QUE É NOSSO REPRESENTANTE AQUI NO ESTADO/RN, QUE OS ULTIMOS PROCEDIMENTOS PRATICADOS PELA PREVI, EM RELAÇÃO A SUSPENSAO BET, RETORNO DA CONTRIBUIÇÃO PATRONAL, COBRANÇA DO DA PARCELA MENSAL DO EMPRÉSTIMO SIMPLES, ABRIU UM ABISMO FINANCEIRO NA NOSSA CAPACIDADE DE PAGAMENTO, E, NEM PRECISA
SER ESPECIALISTA PRA DIZER ISSO.