sexta-feira, 19 de setembro de 2014

CNPC - MUDANÇAS EM FUNDOS DE PENSÃO



Colegas,


Repasso, abaixo, matéria divulgada na imprensa tratando de mudanças em Fundos de Pensão.
Este assunto da longevidade vem sendo divulgado nas redes sociais, embora sem o conhecimento do projeto que será apresentado.
Outro tema relevante que também está em pauta do CNPC refere-se a mudança de precificação dos ativos e passivos dos Fundos de Pensão que podem mudar os resultados contábeis dos planos.
Existem informações de estes assuntos serão pautados na reunião de 30 de setembro e que seria a última reunião do ano do CNPC mas que, o Secretário Jaime Mariz informa que o assunto será pautado nas reuniões de outubro e novembro.
Cabe-nos ficar atentos e acompanhar o desenrolar destas mudanças que podem ocorrer ainda este ano.


Abraço,


Carvalho.


"Por Edna Simão | De Brasília


O governo pretende discutir ainda neste ano a possibilidade de permitir que os fundos de pensão terceirizem o risco da maior longevidade dos brasileiros para empresas seguradoras, assim como já é feito para os riscos de morte e invalidez em planos de contribuição definida. Também pode discutir ajustes nas regras de precificação dos ativos, que atualmente é feita por marcação a mercado.
No caso da terceirização do risco do envelhecimento da população, o secretário de Políticas de Previdência Complementar, Jaime Mariz, diz que o assunto começará a ser avaliado em reunião do Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC) em outubro. Já as discussões em torno dos ajustes na forma de contabilizar a precificação de ativos deverão ficar para novembro.


"Estamos com esses assuntos em pauta. Não significa que será aprovado [já nas primeiras reuniões], mas vamos debater para ver se temos uma solução até o fim do ano", disse Mariz, que participou ontem de evento sobre previdência complementar, realizado pela Gama Consultores Associados.


O secretário explicou que vários países do mundo já permitem que os fundos de pensão terceirizem alguns de seus riscos. No caso do Brasil, a resolução nº 10 do CNPC, de 2004, autorizou a transferência do risco de morte e invalidez nos planos de contribuição definida.


Nas discussões em outubro, o CNPC vai debater a possibilidade de permitir a terceirização do risco para os casos de longevidade, ou seja, para situações em que o segurado vive muito mais anos do que está previsto. Normalmente, nesses casos, o segurado é chamado a contribuir mais para arcar com o recebimento do benefício por mais tempo. Mariz deixou claro que, se aprovada essa medida, será opcional.


Durante o evento, o ex-secretário de Previdência Complementar e advogado da Reis, Tôrres e Florêncio Advocacia Adacir Reis destacou a importância da revisão da norma nº 10 para contemplar o risco da longevidade. "A gente pode fazer um avanço normativo para que o fundo de pensão, de forma parcial ou total, tenha condição de terceirizar esse risco [da longevidade], disse.


Outro tema que deverá ser debatido pelo CNPC, em encontro de novembro, são ajustes na forma de precificação dos ativos dos fundos de pensão. Atualmente, é feita a marcação a mercado, ou seja, o processo capta todos os altos e baixos dos papéis e títulos. Essa é uma das principais demandas dos fundos de pensão. Isso porque, muitas vezes têm que estabelecer contribuição extraordinária ao segurado para cobrir um déficit de curto prazo. "É preciso dar uma tratamento adequado ao déficit de forma permanente", explicou Mariz.


Ao defender mudanças, Reis destacou que a vocação dessa poupança do segurado é de longo prazo, portanto, se há resgate é uma excepcionalidade como situações de contingência judicial. Ou seja, na avaliação de Reis, seria adequado haver alguma exceção para a marcação a mercado para que o participante não fosse chamado para fazer uma contribuição extraordinária para resolver um problema de oscilações de curto prazo".


 

12 comentários:

José Antonio disse...

Carvalho, propõe à Diretoria de Benefícios da Previ a redução do prazo para a renovação do ES, de 6 para 3 meses, pelo menos por 1 ano. Isso não tem custos para o Fundo,não implica em endividamento mas, estejas certo, vai dar algum gás para nós, os mais apertados.

Anônimo disse...

MUDE!

Nada é estático. Tudo gira. Um poste que você vê ali na esquina não está parado. Ele gira ao redor da terra.
E, você, criatura humana, pensante, que pode ser destruída ou aniquilada pelo tempo e/ou por biodegradação, antes de tudo, mude.
Mude! Mude com inteligência. Seja crítico do presente. Antes de ser aniquilado por fatores atemporais, antecipe, mude.
Repito o poeta: G. Vandré: “... quem sabe faz a hora ... ” .
Mude. Transmude-se. Invente-se.
Critique o passado. Ache-se no presente. Faça acontecer no futuro.
Nada cai do céu por acaso. Há uma lei na Física que diz: “Cada ação há uma reação. De força igual e sentido contrário”.
A nossa democracia é jovem. É tênue como um fio de cabelo.
Nos próximos 15 dias a democracia brasileira passará por teste de provisão e provação de valores que se tornarão úteis ou não, consequentes ou inconsequentes , fatídicos e mortais, para os próximos 04 anos.
Mude. Pense em mudar. Critique sem emoção. Mas não tenha medo de mudar para ser feliz.
Pensemos no Brasil em um horizonte de 20 a 30 anos futuros. Mude, visando o futuro. Esse futuro será para as próximas gerações.
De um passado de20 anos atrás, mudamos, inegavelmente. Porém, nessa temporalidade, houveram políticas macroeconômicas de não abrangência do substrato social, cultural, econômico e de cidadania para sociedade brasileira.
Mude. Com sabedoria e esperança.
O horizonte está em aberto para a esperança. Como diz Jota Quest:
“ se quiser saber Pra onde eu vou
Pra onde tenha Sol
É pra lá que eu vou... “.
Ao surfar na contemporaneidade das propostas genéricas e abrangentes, postas à mesa do fatídico eleitor, dizemos que, também, navegamos na areia pantanosa da dúvida e incertezas futuras.
Vou mudar. Quero mudar. Vou de 40, Aqui e lá!! Quem viver, verá!
Abraço e futuro promissor para todos. A sorte, que a tenhamos como aliada.!

james paiva - Jpa.

fernando disse...

Amigo Carvalho, é bom ou ruim para nós. Quando alguma coisa muda, normalmente é sempre sobra pra nós, ou seja vão mexer no nosso bolso. Prova os Empréstimos Simples, CApec, taxas por faixas etárias, justamente na hora que mais precisamos, que é na velhice.

Paulo Beno, disse...

Ola Carvalho,

Favor avisar a Gerência de Investimentos Imobiliários (IMOBI), que os espanhóis da IBEROSTAR querem comprar complexos hoteleiros brasileiros.
Estão negociando por R$ 150 milhões a compra do "Costão do Santinho" (SC).

Nossa "Costa do Sauípe" (BA) está avaliada em R$ 148 milhões e está à venda.

Motivo: Os do PB1 são proprietários 100% deste imóvel e precisam "fazer caixa".(.rsrsrsr)e não temos condições de "tocar o negócio de hotel" pois estamos aposentados...

Obrigado.
Paulo Beno
Carazinho (RS)

Anônimo disse...

Ao anônimo das 09:01 de 21.09., faz me rir o que pedes, porque? Analisa bem, existem um universo de 3.000 mais ou menos que não conseguiram nem atualizar o saldo devedor, estão desenquadrados, por falta de MC, e o amigo solicita isso.Não é querer botar mosca no teu pastel, só não entendi o que ganharás com a redução?

No meu modo de ver o ES deveria poder renovar ao menos uma vez por ano, e a carência teria que ser de doze meses, ai pode ser que sobrasse algo, pois, caso contrário não resolveria nada.

Antonio Carvalho disse...

Prezado Anônimo: Não tenho informações para fazer avaliação se é bom ou ruim. Você tem razão. Mudanças que brotam de cima para baixo muitas vezes não são as que desejamos.

Antonio Carvalho disse...

Prezado Paulo: 22/09 - 15.40 hs.
Sei que IBEROSTAR possui um complexo hoteleiro vizinho ao Sauípe. Acredito que a Diretoria de Investimentos está acompanhando as oportunidades de vendas.
Lembro-me que em 2008, antes da crise, o complexo por muito pouco não foi vendido. Não saberia precisar o valor de avaliação. Curiosidade: De onde Você tirou este valor de R$ 148 milhões, que ainda não me foi apresentado na condição de conselheiro. Estaria divulgado no site da PREVI ou em outro site que me passou despercebido?
Na próxima reunião do CD me informarei melhor sobre o assunto
Abraço,
Carvalho.

SAUIPE, disse...

Ola Carvalho,

A evolução do investimento imobiliário "SAUÍPE" consta na Pág 141 do Relatório Anual de 2013, nas Nts. Explicativas nº 12, que remete à Nota Explicativa nº9.1, da página 134 do mesmo Relatório Anual da PREVI.

São ações ON/PN sem cotação em mercado ativo que valiam R$ 1 mil em 2012 e foram "ajustadas" em mais R$ 148,536 milhões em aprovação na assembléia geral de Sauípe S.A. em 02/10/2013, tratando como empresa em processo de liquidação...

Por oportuno, informo a remuneração total aos diretores do "SAUÍPE", até abril de 2015 será de R$ 4.372.500,00, cfme. "AEP-Acompanhamento de Empresas Participadas", divulgadas no site PREVI -Investimentos- em reunião de 30/4/2014, acompanhada pelo Gerente executivo da PREVI, Dr. Arthur Prado Silva.

Um abraço
Paulo Beno

José Antonio disse...

Para o anônimo de 22 de setembro de 2014 16:20.

Com sinceridade, lamento a situação dos "desenquadrados", mas tenha a certeza de que a redução da carência poderá ajudar um pouco a muita gente.

José Antonio disse...

Do blog do Medeiros:

Anônimo Cláudio Almeida disse...


Dr.

Enquanto seu lobo não vem, li no blog do Carvalho uma sugestão de pedir à Previ reduzir a carência do ES para três meses.

Quase nada, melhor que nada.

O ES é o único benefício ao alcance do poder de decisão da Diretoria Executiva.

Abraços.

23 de setembro de 2014 09:16

Antonio Carvalho disse...

OK, Paulo.
Esta semana teremos uma apresentação sobre o sauipe.

Anônimo disse...


Colegas,

A propósito da sugestão da redução da carência do ES - que julgo oportuna, ja que não nos onera mas ajuda - sugiro que seja de 6 para 4 meses e definitiva daqui para a frente, passando a nova sistemática a funcionar a partir de novembro/2014.

Carvalho dá uma força, por nós.