sábado, 4 de outubro de 2014

A PREVI E A BOLSA DE VALORES


Caminhamos para o final do ano. É hora de refletirmos sobre o comportamento da Bolsa de Valores que se reflete no desempenho da PREVI.


É bom lembrar que o Plano 1 da PREVI tem 60% dos ativos investidos em renda variável. Deste percentual, 47% encontram-se na carteira de mercado, (ações), concentradas no Banco do Brasil, Petrobrás, AmBev e BR Foods. A movimentação de ações destas e de outras grandes empresas afeta a Bolsa. Isto significa que quando as ações oscilam, os investimentos da PREVI sofrem impactos, para mais ou para menos. Do total de aplicações em renda variávei, 51% estão aplicados em empresas, cujas avaliações são feitas anualmente pelo valor econômico que pode variar para mais ou para menos, em relação ao valor das ações daquelas empresas no mercado. As aplicações estão concentradas na Vale do Rio Doce. O Jornal Valor Econômico divulgou matéria informando que o preço do minério de ferro caiu 32% no trimestre de julho a setembro, em relação ao mesmo trimestre de 2013. Isto pode afetar a rentabilidade da Vale, com reflexos na PREVI.


Notamos que no acumulado até julho de 2014 a rentabilidade do Plano 1 foi de 5,8%, afetado pela baixa rentabilidade da carteira de ações. A meta atuarial era de 6,9%. As provisões matemáticas foram de R$ 119 bilhões, exigindo reservas de contingências de R$ 29 bilhões (25% das provisões matemáticas). Como o superávit técnico foi de R$ 24 bilhões faltaram R$ 5 bilhões para compor a reserva de contingência. Nesta situação não há como se falar em reserva para revisão do Plano de Benefícios. Em julho a bolsa fechou com 55.829 pontos.


Já em agosto, com a bolsa fechando com 61.288 pontos, a rentabilidade acumulada do Plano 1 foi de 10,5%, indicando reservas para revisão do plano, embora sendo de pequeno valor. A depender da avaliação pelo valor econômico das empresas consideradas (51% das aplicações em renda variável), há indicativos de que a bolsa precisa fechar o ano de 2014 com mais de 62 mil pontos para se vislumbrar a existência de reservas especiais para possível revisão do Plano.


Ressaltamos que em 2014 a bolsa variou entre 51 a 62 mil pontos. Em setembro a variação foi entre 54 a 62 mil pontos e no dia 3 de outubro fechou com 54.169 pontos. Estamos num período de eleição e incertezas. O desempenho da Bolsa dependemos do resultado da eleição e do desempenho das economias internacionais, em especial da China. Logo, não há, neste momento, como prevê o resultado da PREVI no final de 2014.

Antonio J. CARVALHO

 

4 comentários:

Paulo Beno, disse...

Ola Dr.Carvalho e Colegas,

Quinta-feira, dia 02/10/2014 o nosso Plano 1 da PREVI vendeu 51,4 milhões de ações a R$ 12,00 ref. a 5,07% de participação na USIMINAS, por R$ 616,7 milhões.

O grupo argentino Techint-Ternium comprou com um ágio de 82% do valor médio das ações. Tais ações já alcançam R$ 7,53 e vão subir mais...

Na Pág.98 do Relatório 2013 lê-se que tínhamos em 31/12/2013 52,769 milhões de ações ON da USIMINAS, então avaliadas em R$ 654,344 milhões .

A PREVI indicou 4 associados para Conselheiros na USIMINAS: 2 fiscais: Jânio Carlos Endo Macedo (BB))e suplente Roberto Luiz Ribeiro Berzoini (APO); 2 administrativos: Wanderley Rezende de Souza (APO) e suplente Hudson de Azevedo (APO) (trabalhei com este no BB-Carazinho RS).

Mary disse...

Carvalho, apesar do pessimismo da bolsa hoje vemos a mudança do Cenário com o sato que o Aécio deu surpreendeu muita gente até a própia Marina e agora no segundo turno veremos ainda o desenrolar dessa Luta, Creio que Deus tem Poder pra nos dar essa Mudança, afinal estamos sofrendo com todos desmando que tem nesta Previ porque de 1997 pra cá foi Parcela Prevri, fechamento do plano e aqueles que estão Aposentados por Invalidez estão Sofrendo muito e eu que o diga que tambem sou e Espero na Justiça Divina, Creio na Vitória. abraços

Cláudio Almeida disse...


Prezado Carvalho,

Melhor que eu você sabe que os atuais parâmetros do ES valem só até 28.10.2014, prazo estabelecido pela revisão emergencial de julho/14.

Para o bem ou para o mal, a Diretoria deve se pronunciar.

Melhor se for para o bem.

Você pode ajudar.

180x144 ou na pior das hipóteses carência reduzida para 3 meses, como alguém sugeriu em blog.

Abraços

Adaí Rosembak disse...

Caro Carvalho,

Sempre oportunas suas notas e as do Medeiros sobre a Bolsa de Valores.
A PREVI, como você lembra, está apoiada principalmente na Bolsa.
O outro assunto são as eleições no dia 26. Mas é muito difícil abrir a cabeça das pessoas.
E precisamos estar atentos para as novidades que, com certeza, sairão da reunião do CNPC.
Mais uma vez parabéns pela nota.
Um abração

Adaí Rosembak