sexta-feira, 1 de maio de 2015

ANABB - GOVERNANÇA EM DISCUSSÃO


Não é novidade constatar a divisão de grupos na ANABB – Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil. Na atual gestão a governança é confusa.  Episódios incomuns têm ocorrido. Em 2014, com um grupo de Conselheiros saiu da reunião. Como havia quorum, as deliberações ocorreram normalmente. Em 29/04/2015, o outro grupo, junto com o Presidente do Conselho retirou-se da reunião.

Como havia quorum, foi nomeado um Presidente "Ad Hoc”,(tem temporário), previsto no Estatuto e na Lei. A reunião continuou.

Este lamentável episódio foi destaques no site da ANABB e comunicação imediata a todos os associados. Desejando saber mais Clique no link: ANABB - GOVERNANÇA AMEAÇADA.

Embora não divulgado pela Diretoria no site da ANABB nem aos Associados, o grupo que   continuou com a reunião emitiu documento explicativo, não divulgado pela Diretoria. Desejando saber mais, clique no link: ANABB - GOVERNANÇA NÃO ESTÁ AMEAÇADA.

 

Cabe lembrar os princípios fundamentais das boas práticas de Governança Corporativa: Transparência, Equidade, Prestação de Contas e Responsabilidade Social. Embora seja uma boa prática de gestão, o Conselho Deliberativo não adota um calendário anual de reuniões, que evitaria choques de agendas e tentativas de manobras indesejáveis.

 

Por oportuno, destacamos artigos do Estatuto da ANABB relacionados ao presente episódio:

O Art. 23, dentre outras, diz que o Conselho Deliberativo é responsável por:

 - Inciso I: “Eleger entre seus membros, por voto secreto, seu Presidente e os componentes da Diretoria Executiva, imediatamente após a posse”;

- Inciso V: “Eleger novos membros da Diretoria Executiva, por voto secreto, na vacância de cargos”. Possivelmente a discordância do não preenchimento do cargo de Vice-Presidente vago foi o motivo da saída da reunião do Presidente do Conselho junto aos seus aliados.

- Inciso XX julgar as contas, apreciar o relatório da Diretoria Executiva e o parecer do Conselho Fiscal, até o dia 30 de abril de cada ano, e o eventual parecer de auditoria independente. A não aprovação das contas até 30/04/2015 infringiria o Estatuto.

- O Art. 25 parágrafo 2º: “As reuniões do Conselho Deliberativo, convocadas com antecedência mínima de 48 (quarenta e oito) horas, serão realizadas em primeira chamada com a presença mínima de 2/3 (dois terços) de seus membros e, em segunda chamada, uma hora após, com mínimo de 11 (onze) Conselheiros”. Observe-se que a reunião iniciou com a totalidade dos Conselheiros e continuou com 11 membros (quorum exigido no Estatuto).

- O Art. 25 parágrafo 6º: “Na reunião do Conselho Deliberativo em que não constar a presença de seu Presidente para conduzi-la, observado o quórum para instalação da reunião, caberá aos membros presentes promover, por maioria de votos, a escolha de Presidente ad hoc para dirigir os trabalhos daquela reunião”. Com saída da reunião do grupo de 10 Conselheiros, inclusive o Presidente, como havia quórum, os Conselheiros remanescentes elegeram o Presidente “ad hoc”, deram curso a reunião, cumprindo a pauta.

- O Art. 26: “Observado o quórum de 11 (onze) Conselheiros, as decisões do Conselho Deliberativo serão tomadas por maioria simples dos votantes. Em caso de empate, ter-se-á por aprovada a proposta que tiver contado com o voto do Presidente”. Não foi o caso. Embora a prática do uso do voto de minerva, muito condenada, é usual na ANABB.

O Art. 32 parágrafo 2º: “Na ausência de qualquer membro da Diretoria Executiva, não superior a 90 (noventa) dias ininterruptos, assumirá o Vice-Presidente, na ordem mencionada no caput deste artigo”. No presente caso não havia Ausência, que se caracteriza como afastamento temporário. Havia a vacância do cargo de Vice-Presidente, não foi preenchido.

 

Antonio J. CARVALHO

Conselheiro Fiscal Suplente da ANABB

5 comentários:

Anônimo disse...

Colega Carvalho,

A briga dos 26 mandantes da ANABB, eleitos por nós é pelo PODER(elegem e influenciam na PREVI +participadas, na CASSI, na famiglia Camilo); e pelo DINHEIRO (R$ 40 milhões anuais arrecadados de +100 mil associados.

5 dos mandantes estão na Diretoria (Riede, Fuji, Douglas e F.Amaral) a Godóy renunciou e abriu vacância até julho - ou outubro/15).

10 são da Contraf-Cut capitaneados pelo João Botelho que abandonaram a reunião de 27/4 onde apreciavam o 1º déficit operacional apurada na ANABB, de RS 2,5 milhões EM 2014.
E querem gastar outros R$ 1,1 MILHÕES num "seminário 2015"(rsrsrsrs.kkkk). Vejam quem são os 10 no site da ANABB em "Tentativa de Golpe...etc.etc"

Restam o "GRUPO DOS ONZE", que em maioria continuaram a reunião, com presidência ad doc de Cláudio Zucco, destacando 7 temas pautados, tudo na forma prevista no Estatuto e Regimento da ANABB, tão bem esclarecidos pelo Sr.Carvalho, aprovando por unânimidade 4 atas de 2014 do Codel e aprovando a proposta DIREX 49, de 08 de abril de 2015 sobre ajustes na estrutura de cargos da ANABB, que só eles sabem do que se trata (aos associados resta só pagarem R$ 33 por mes ??).
Ficaram pendentes para a próxima reunião ainda sem data marcada (Mas que coisa: uma ANABB tem que agendar previamente todas suas reuniões...)
especialmente aprovação das contas de 2014, mormente sobre A utilização de valores provisionados, já solicitados em reunião de 15/12/2014 e não revelados em pareceres jurídicos/contábeis e RESSALVADOS PELOS AUDITORES EXTERNOS.
Qual os valore?...Alguém sabe ???

Finalizando, às 17:05 horas o DUPLO VICE-PRESIDENTE DE RELAÇÕES ("Institucionais e interinamente Funcionais", Fernando Amaral, interrompeu a gravação da reunião do Conselho,retirando o funcionário e dispensou das tarefas as 2 secretárias...(APAGOU A LUZ, fernandinho?)

AGUARDEM A PRÓXIMA REUNIÃO, para continuidade dos trabalhos:

NOMINATA DO "GRUPO DOS ONZE":
Ana Lucia Landim
Augusto Carvalho
Cecilia Garcez
Cláudio Zucco
Denise Vianna (esposa Valmir)
Emilio Santiago Rodrigues
Graça Machado
Mércia Pimentel
Nilton Brunelli
William José Alves Bento e,
TEREZA GODÓY (pivô do problema/crise)

Anônimo disse...

Senhor Carvalho,
O que esses diretores da Anabb tem feito a não ser ficar brigando? Aconteceu tanta coisa ruim na Previ - fim do bet, volta das contribuições, salários achatados, sem teto, voto de minerva e eu não vejo a Anabb fazer nada. Para que a ANABB existe? Para brigar por poder? Esse Presidente da ANABB não foi aquele indicado pelo BAnco para ser Presidente da Cassi? Boa coisa não é, não está lá para nos defender e sim para articular com o Banco. Não sei o que aconteceu, mas sei que a Anabb não está fazendo nada por nós e ainda dá prejuízo? Será que tudo que o PT põe a mão vira lixo?

João Lopes Rodrigues disse...

Prezado Carvalho!

Permita-me reproduzir abaixo comentário meu veiculado recentemente em outro blog:

---------------------

Sou sócio da ANABB desde a sua criação. Por que ainda continuo sócio da mesma? Boa pergunta!

Ao longo dos anos tenho visto a ANABB não como "aliada" na defesa das causas de seus associados; mas como um "entrave" na vida desses.

É uma associação complexa demais, extremamente burocrática, politicamente de natureza duvidosa, e, sobretudo, "amiga" de mais do governo, em especial do poder judiciário.

Em geral se posiciona "favorável" a determinadas questões em favor de seus associados; mas, por outro lado, costuma "abrigar-se" sob as asas dos ditames do governo, e, com isso, tende a ficar "esperando" que as coisas aconteçam.

Sua comunicação com os associados é "emperrada". Costuma dar respostas confusas, ou, quando muito, "vazias"; pouco ou nada acrescentando.

Conduz nossas ações judiciais sem o mínimo empenho, abrigando-se na máxima de "a justiça é lenta". O recente episódio da Ação IR Previ 1/3 nº
144606020104013400, em que "pisou na bola", e foi a responsável por atrasar o andamento da ação em mais de 1 ano (não tomou as medidas preventivas exigidas pela justiça a partir de abril/14) demonstra total descaso com seus associados. A tentativa de "remediar" a situação (o próprio presidente enviou e-mail solicitando urgência no envio das autorizações) só demonstrou mais ainda a falta de empenho da mesma.

Enfim... Não é a toa que muitos colegas têm cancelado seus registros junto a essa associação, considerando decepções e desgastes. Não por não terem sido atendidos em seus pleitos; mas sobretudo pelo descaso com que foram tratados.

É uma pena!

Antonio Carvalho disse...

Prezados,
De fato a atual gestão da ANABB está marcada por conflitos constantes entre grupos. Isso não é bom para a Instituição. O Presidente do Conselho, por exemplo, é Presidente do Conselho e foi eleito por unanimidade. Jamais pode atuar como Presidente e líder de um grupo. Fere os princípios de boas práticas de governança.

Anônimo disse...

Prezado Carvalho,

Em 20/05/2015, em seu site. a ANABB dá destaque a criação da aba "VERSÕES E FATOS", no primeiro episódio traz "a verdade acima de tudo" acerca das demonstrações contábeis de 2014, ainda sob análises e atrasadas na sua divulgação e aprovação.

Ocorrem que ONZE conselheiros Deliberativos afirmaram em reunião de 28/04/2015 que a ANABB apresentou DÉFICIT operacional em 2014, de R$ 2,5 Milhões e deixaram de aprovar a matéria, pois não identificaram se houve utilização dos valores provisionados em decisão do CODEL de 15/12/2014, tendo havido inclusive RESSALVAS nos pareceres do Conselho Fiscal e dos Auditores Externos, pois não receberam os pareceres jurídicos/contábeis. Todos os 11 conselheiros se abstiveram de votar este item.

Surpresa maior, hoje, no site da ANABB na nova aba "VERSÕES E FATOS", a Diretoria retruca que a ANABB está SUPERAVITÁRIA em R$ 2,9 Milhões e que eram "boatos o tal déficit de R$ 2,5 Milhões informado nos blogs", tendo inclusive 2 Reservas, em abril/2015 de R$ 15 milhões para o Pró-Labore II (??? que é isso?) e R$ 18 milhões Livres, totalizando pois R$ 33 Milhões nas Reservas.

Então, Colega Carvalho. Quem está com a razão? Quem está mentindo ? Quem fala a verdade?. O Balanço atrasado de 2014 da ANABB teve DÉFICIT ? ou teve SUPERAVIT ?

Estamos aflitos e confusos.