segunda-feira, 22 de junho de 2015

CASSI - ESTRANGULAMENTO

Tenho acompanhado sugestões de propostas e dezenas de comentários objetivando a busca de soluções para a CASSI que se encontra estrangulada. Já me manifestei sobre o assunto em outra postagem. Entendemos que há de se refletir e rever:
 - A estrutura de custeio. Hoje as despesas são maiores que as receitas. Efeito tesoura;
- O modelo de saúde. Focar a prevenção.
- A melhoria na gestão. Reduzir despesas e melhorar os controles;
- O relacionamento com prestadores. Melhorar as tratativas e combater os abusos;
- As relações com associados. Melhorar orientações e tratar com mais respeito;
Discordamos da proposta do Banco, como apresentada. Não devemos abrir mão:
- Do princípio da solidariedade;
- Da responsabilidade do Banco em participar de eventuais déficits;
- Das provisões corretas e segurança pós-emprego (aposentados).  Cálculo atuaria de saúde (menos previsível) é diferente de previdência (mais previsível).
- Da responsabilidade do Banco pela saúde dos funcionários (ativos e aposentados);
Devemos permanecer todos atentos, pois, a qualquer momento podemos ser chamados a votar mudanças no estatuto da CASSI.

Um comentário:

Rosalina de Souza disse...

Prezado Conselheiro Carvalho, apesar de ter moderado meu ultimo comentário, tomo a liberdade de postar no seu blog, pergunta que fiz a Diretora de administração da Previ.

Prezada Diretora Cecília Garcez,
Vou lhe fazer a seguinte pergunta:
Desde a sua posse como Diretora de Administração na Previ, o que mudou para os Aposentados e Pensionistas dos PB-1 e Previ Futuro?.
Após 01 ano de administração, quais foram os acertos e os erros cometidos, pois as promessas até agora, ainda não saiu do papel.
Vocês justificam a pouca ousadia nos outros componentes, sua briga com o Diretor Marcel, atual diretor de seguridade se acentuou após a vitória da extinta chapa 3 Previ Livre, Forte e de Todos.
Continuamos sem liberdade, continuamos com benefícios previdenciários sem recomposição das percas, o índice de reajuste não cobre as nossas despesas que sobem mais que o ganho atrelado ao INPC, e não é de todos, pois apenas os Diretores estão ganhando REMUNERAÇÃO VARIAVEL, ou o Bônus repaginado.
Agora o e-mail que esta circulando com a assinatura do Sasseron, faz menção a consultoria que a Diretoria de Administração contratou para melhorar a gestão na Previ e que um dos focos é a venda dos Empréstimos Simples e Imobiliário para a administração do Banco do Brasil S/A.
Agora até que ponto tem meias verdades só mesmo os dirigentes e Conselheiros que tem cópia do relatório em suas mãos, pois a nós por questão de sigilo e confidencialidade saberemos apenas quando as maldades forem implantadas.
Faz sentido algumas questões pontuais:
a) A folha de Pagamentos da Previ é administrada pelo Banco, a Previ por força do contrato se recusa a fazer leilão da sua folha, alegando que o Patrocinador é absoluto nesta questão.
b) Muitos dos recursos da Previ são administrados pela BB-DTVM, com pagamento de comissões vultosas a cada exercício.
c) O banco é o maior fornecedor de mão de obra da Previ, e a muito tempo estamos vendo a Previ diminuir as aplicações em empréstimos e financiamentos, empréstimos limitados a 120 parcelas ou 10 anos, e os financiamentos imobiliários congelados em 240 parcelas ou 20 anos, e com o envelhecimento da população do plano a cada exercício as condições tem sido piores para os tomadores de um modo geral.
Não estou acusando ninguém, mas na nossa cabeça surgem muitas duvidas, não em relação ao e-mail supostamente com assinatura do Sasseron, mas o que de verdade o futuro nos reserva, pois já perdemos o BET, voltaram as contribuições, vão mexer na Cassi, a inflação voltou com muita força, e nossos benefícios perderam de vez a capacidade de pagar as contas, contas básicas, se quer estamos falando de supérfluos.
Este mais difícil viver sem os empréstimos, pois os benefícios já não suportam as tantas obrigações que temos no dia a dia, até 2008 os Dirigentes recebiam próximo de 28 mil reais, em 2014, estes mesmos Dirigentes recebem em média 44 mil reais, quase 55% de aumento, enquanto nós fazemos a conta do quanto perdemos neste período, fora o REMUNERAÇÃO VARIAVEL.
Não vou me alongar muito mais, mas gostaria da sua opinião, pois a cada ano que passa meu benefício perde a capacidade de comprar e pagar, pois com esta velocidade, em muito pouco tempo nosso complemento da Previ, VERBA P-300, valera menos que o que recebo do INSS.
Saudações Cordiais,
Rosalina de Souza
Pensionista
Matricula 18.161.320-4