segunda-feira, 21 de setembro de 2015

PREVI - Novos Critérios para Indicação de Conselheiros

A PREVI divulgou em seu site novos critérios para indicação de Conselheiros em empresas participadas, aprovados na reunião do Conselho Deliberativo de agosto de 2015.
Considero um grande avanço. Considero que o processo ainda precisa ser aperfeiçoado.
Resumo das principais mudanças e outras informações divulgadas pela PREVI:
1. Obrigatoriedade de comprovação das informações curriculares
2. A próxima seleção de conselheiros segue os prazos abaixo:
Atividades
Prazos (*)
Cadastramento/atualização curricular/envio dos documentos comprobatórios
9/11/2015 a 11/12/2015
Fechamento do cadastramento/atualização dos currículos
11/12/2015
(*) Os prazos podem sofrer alterações devido a ajustes nos sistemas
3. Critérios classificatórios: As indicações recairão sobre os 300 melhores classificados no ranking de pontuação
4. Pontuação de cada grupo de quesitos
Grupo de quesito
Pontuação
Formação acadêmica
28
Experiência profissional
37
Experiência em órgãos colegiados
19
Conhecimentos de interesse específico
16
 5. Após o cadastramento o candidato pode visualizar sua pontuação.
6. Renovação do contingente de conselheiros: Após quatro anos ininterruptos de mandato, o conselheiro terá um intervalo obrigatório de pelo menos um ano para que possa receber nova indicação. Os próximos dois processos seletivos - 2016 e 2017 – constituirão um período de transição para a aplicação da regra, de modo a não gerar descontinuidade no acompanhamento das empresas participadas.
6 - Por oportuno, acrescento outras informações, ainda não disponibilizadas pela PREVI:
a – Para classificação os candidatos deverão obter no mínimo 50 pontos em seus currículos;
b – Serão desclassificados os candidatos em conflitos de interesses com a PREVI. Exemplo: Ações executivas. Será objeto de parecer jurídico os que movem ações contra o Banco.
c – Mediante justificativa, será permitida a indicação de no máximo 5% de candidatos fora dos 300 melhores classificados, desde que obtenham, no mínimo, 50 pontos no currículo;
d – Para inibir conflitos de interesses e para empresas de controle difuso será admitida a indicação de no mínimo 5% e no máximo 10% de Conselheiros Externos, obedecidos aos mesmos critérios aplicados aos participantes da PREVI.
 e – No quesito Experiência Profissional será permitido o registro de funcionários com no mínimo 5 anos de atividades no Banco, Cassi e Previ.
f – Deverá ser aperfeiçoado o processo de avaliação de Conselheiros.
OBSERVAÇÕES:
Votei pela não permissão de acúmulos de Conselho, que deveria ocorrer, somente, em casos de absoluta e comprovada excepcionalidade.
Antonio Jose de Carvalho (Carvalho)

2 comentários:

Oracides Garbini disse...

Boa noite.
Acho importante nomear pessoas qualificadas e de preferência com conhecimento na área de atuação da empresa.

Roberto Martines 8670089-8 disse...

Conselheiros eleitos não deveriam aceitar nenhuma indicação para qualquer conselho. E sim cuidar exclusivamente da entidade a qual foi eleito e se seu salário ultrapassar o teto depois das despesas ocasionadas pelo cargo depositar o restante em juízo em nome da entidade a qual representa. É desses conselheiros que as entidades dos Funcionários do BB precisa atualmente.

Pós/97 quebrado/humilhado + não maniado

Rio Brilhante MS