quarta-feira, 14 de outubro de 2015

PREVI - MUDANÇA NO EMPRÉSTIMO SIMPLES

Atendendo demandas dos participantes, capitaneadas pelos eleitos em 2014, a PREVI aprovou hoje, mudanças nas regras de empréstimo simples, conforme divulgado no site: WWW.previ.com.br. As principais mudanças foram:
1 – Renegociação do saldo devedor, com redução do valor das prestações e elevação do prazo, tudo de acordo com as regras ora estabelecidas, com início a partir de 30/11/2015;
2 – Empréstimo Simples 13 salário, com início a partir de março de 2016, desconsiderando-se neste tipo de operação a margem consignável;
3 – Suspensão das prestações do empréstimo simples do Plano 1, para aqueles que desejarem, nos meses de dezembro de 2015, janeiro e fevereiro de 2016;
Entendemos que elevação de endividamento pode não ser um bom negócio. Porém, pode ser uma forma de adequação temporária do caixa de muitos Colegas.
Os empréstimos simples são corrigidos pelo mesmo índice atuarial (5% de juros aa, mais INPC). Estes encargos financeiros são os mínimo exigido para rentabilizar a reservas e garantir o pagamento de benefícios de todos.
Reconheço que houve avanço no atendimento dos participantes que utilizam o empréstimo simples. Porém, continuo defendendo a revisão da margem consignável, considerando-se para o teto de 30% consignável, somente as responsabilidades existentes junto a PREVI.
OBS:
Por oportuno, lembro que a votação para eleição da ANABB está em andamento e a data final para votar é 3/11/2015. Exerça o seu direito democrático, votando. A votação é pessoal. Apesar de circularem muitas relações indicativas, não existem chapas.  Sou candidato.

111 – Antonio Jose de Carvalho (Carvalho)

10 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Carvalho,

Não entendi o seu entendimento quando diz "defender a revisão da margem consignável, considerando-se para o teto de 30% consignável, somente as responsabilidades existentes junto a PREVI".
A lei dos consignados e as decisões judiciais limitam a soma de todos os débitos consignados a 30%.Você está dizendo que esse limite deve ser aplicado somente aos débitos da Previ independente dos demais débitos de consignados?

Anônimo disse...

Prezado Conselheiro Sr. Carvalho,
Mesmo considerando um avanço considerável a decisão de ontem (14.10) da Diretoria Executiva, entendo que não atingirá os reais objetivos, quais sejam:
A renegociação para quem já tem prazo de 120 meses, portanto, os mais velhos, só é interessante para quem já pagou 20 ou 30 parcelas, o que representa, no quadro de mutuários do ES plano 1, aprox. 80% dos casos.
Cito um exemplo: 145.000,00 - prestação 120 - pagas: 8 - parcela: 2.120
(se renegociar o prazo volta de 112 para 120 e a redução da parcela dá uma parcela insignificante de 30 a 40,00.
Acho que é o momento oportuno da Diretoria Executiva resolver, de uma só vez, os problemas dos empréstimos simples, nem que, para tanto, tenha que suspender a liberação de novos recursos para quem optar pela renegociação com prazo superior a 120 meses.
Não há nada que tenha sido decidido que não possa ser ajustado.
Obrigado

Anônimo disse...

Posto, a seguir, sugestão por mim endereçada à PREVI, através do "Fale Conosco", a respeito do prazo de renegociação do ES:

Senhor Presidente,

Tomando conhecimento das novidades em relação ao Empréstimo Simples divulgadas no site da PREVI, achei por demais tímidas e que muito pouco contribuirá para aliviar o fluxo financeiro dos participantes que serão beneficiados com as medidas, principalmente em se mantendo o prazo máximo permitido, de acordo com a idade do mutuário.
2. A meu ver e s. m. j., a manutenção do prazo máximo de 120 prestações para efeito de renegociação do saldo devedor do ES, respeitada a faixa etária do mutuário, não propiciará redução significativa do valor da prestação mensal, especialmente em se considerando que a maioria dos mutuários, levados pela caótica situação financeira em que se encontram, vai optar pela suspensão das parcelas de dez/2015 a fev/2016, impactando substancialmente o saldo devedor, em razão dos encargos financeiros (juros de 5,00% a. a. + INPC) a serem debitados no referido período.
3. É de se esperar que a Diretoria Executiva da PREVI estenda para 150 prestações o prazo máximo para renegociação do ES, respeitada a faixa etária do mutuário ou mantenha-a em 120 prestações para todos, acabando com a discriminação ora existente em relação aos mais idosos, mesmo que, para isso, seja necessário elevar os percentuais do FQM cobrados.
4. Deixo aqui a minha sugestão que espero seja posta em discussão à nível de Diretoria Executiva e venha a merecer a aprovação, pois somente com a mudança dos critérios ora adotados no que se refere a prazo, será alcançado o objetivo pretendido, ou seja, ajudar a aliviar o fluxo financeiro dos participantes a serem beneficiados.
Filomeno José Linard Costa - Matr. 3.288.840-6

Mário Sanchez disse...

Concordo com a carta do sr. Filomeno.
Há uma assassinato eutanásico contra idosos, mesmo que estejam com saúde maior que gente de metade de nossa idade.
NÃO ESQUEÇAM QUE SE COBRA UM SEGURO DE MORTE DO IDOSO ESTRATOSFÉRICO, POR BASEAR-SE EM ESTATÍSTICAS. E AINDA APERTAM A FORCA DO IDOSO COM TIRAR O DIREITO DOS MAIS NOVOS EXIGINDO PRAZOS TÃO EUTANÁSICOS????
ESTÁ EM TEMPO DE SABER QUE OS DINHEIROS HOJE EXISTENTES NO PLANO 1 FORAM RESULTADO DE APLICAR O DINHEIRO DOS HOJE IDOSOS. É NOSSO E QUEREMOS JUSTIOÇA!

Anonima disse...

Acho que a PREVI deveria voltar a ser como antes, para renovação do empréstimo simples, nunca atrasei uma prestação mas depois que trocou a regra não consigo renovar. Não acho justo que queiram que você tire da folha de pagamento desconto da Cooperforte ou de outros. Como antes conseguia renovar e hoje não consigo mais. Estou pedindo que retire da PREVI a parte do INSS por que dai, poderei fazer empréstimo consignado em banco.

Anônimo disse...


Caro Carvalho,

Pelo teor da resposta que recebi da PREVI e que posto abaixo, acredito que não haverá mudança no prazo de renegociação do ES, se não vejamos:

e-mail: filoedenna@oi.com.br

Atendimento: 59403853

Senhor Filomeno,

Conforme divulgado em nosso site, o prazo será o máximo permitido, de acordo com a idade do mutuário e a cobrança do FQM segmentada em cinco faixas foram mantidos.

Para o participante, o Empréstimo Simples (ES) é um empréstimo pessoal na modalidade de crédito rotativo e para a PREVI é um tipo de investimento dos recursos garantidores dos planos de benefícios.

No ES, são aplicadas as menores taxas permitidas às Entidades Fechadas de Previdência Complementar. Atualmente, o INPC mais juro atuarial de 5% a.a., que é a Taxa Mÿnima Atuarial dos planos administrados pela PREVI.

Outro grande atrativo dessa operação, em comparação com os empréstimos pessoais disponíveis no mercado, é a quitação da dívida vicenda em caso de falecimento do mutuário, com utilização dos recursos do Fundo de Quitação por Morte (FQM).

Visando ao equilíbrio do Plano de Benefício, foram fixadas alíquotas diferenciadas para o fundo de Quitação por Morte (FQM). O que diferencia as alíquotas por faixa etária é o risco de falecimento, maior na última faixa a partir de 80 anos. Quanto maior o risco, maior deve ser a cobertura.

Agradecemos o seu contato e permanecemos à disposição.


LUIZ SALDANHA
Gerência de Atendimento
PREVI

Anônimo disse...

Comentou-se "estou pedindo que retire da Previ(sistema prisma) a parte do INSS porque daí, poderei fazer empréstimo consignado em Banco".
Seguindo essa colocação, pergunto ao conselheiro se não haveria possibilidade de mesmo que continuem juntos proventos PREVI e INSS, porque não se permite o empréstimo consignado INSS ?
Poderia ser feito no próprio BB, gerando mais uma fonte de renda ao BB, à Previ (dividendos) e aos associados que teriam a possibilidade de quitar dívidas com custos maiores. Já que não houve correção no limite do ES...

Lucia Siza Siza disse...

Por favor me tire uma duvida.Essa susoensao do ES vale tambem pra quem tem financ. imobiliário Carim?

Mário Sanchez disse...

VOLTO PARA ACHAR UM ABSURDO A PUNIÇÃO AO IDOSO EM TRÊS ABUSOS:
1.REDUÇÃO MENSAL DO NÚMERO DE PRERSTAÇÕES QUE PODE CONTRATAR.
2.AUMENTO ESTRATOSFÉRICO DA TAXA DO SEGURO.SE HÁ SEGURO, AS PRESTAÇÕES PODEM SER 120.
3.LIMITE SEMPRE ABAIXANDO. PARECE QUE ACHAM QUE O IDOSO TEM SÓ QUE ENCOMENDAR O CAIXÃO HOJE PARA NÃO SUBIR O PREÇO COM INFLAÇÃO E IR DEITAR NELE FAZENDO JEJUM PRA ECONOMIZAR E DEIXAR SEU CAPITAL QUE ESTÁ NA PREVI PARA OS PUTRALHAS QUE VIEREM USUFRUIR DEPOIS.
AINDA FAÇO LEMBRAR QUE TEMOS TAMBÉM CAPEC E QUE PODERÍAMOS RECEBER UM ADIANTAMENTO SOBRE ISTO.
E MAIS, CONTINUAM RETENDO IMPOSTO DE RENDA QUE FOI COBRADO EM DUPLICIDADE E ESTÁ NA JUSTIÇA SENDO EMPURRADA SUA DEVOLUÇÃO SINE DIE.
JÁ QUE ESTE PROCESSO ESTÁ GANHO, A PREVI DEVIA INTERVIR E ACELERAR A DEVOLUÇÃO, SUSPENDER A RETENÇÃO E ATÉ ADIANTAR AO IDOSO.
AFINAL A CONSTITUIÇÃO GARANTE PRIORIDADE AO IDOSO.
ESSA PRIORIDADE DEVIA VALER A HNOSSO FAVOR EM TUDO QUE ESTÃO NOS ENFORCANDO.

Joze de Goes disse...

Alguma.novidade no Emp Simples para 2016?