terça-feira, 18 de outubro de 2016

BB APRESENTA PROPOSTA PARA SALVAR A CASSI DA FALÊNCIA

Conforme amplamente divulgado, há muito tempo a CASSI opera com déficits, (receitas menores que despesas), levando o Plano Associado à ameaça de insolvência.
Depois de 16 meses de negociações com Entidades, (ANABB, AAFBB, FAABB, CONTRAF E CONTEC), no dia 05/09/2016, o Banco apresentou proposta final para salvar a CASSI do caos em que se encontra.
Sob o aspecto financeiro, a Proposta consiste em se obter uma receita adicional, mensal de R$ 40 milhões, até dezembro de 2019, sendo R$ 23 milhões vindos do Banco e R$ 17 milhões dos associados. Com isso, se aprovada pelos associados, haverá uma contribuição extraordinariamente de 1% sobre salário/benefício, até dezembro de 2019. Isso significa que, embora provisoriamente, haverá a elevação de nossa contribuição em torno de 33%, em relação aos 3% que pagamos atualmente. Como exemplo, quem recebe R$ 5.000,00 de salário/benefício passa a pagar R$ 200,00, ao invés dos R$ 150,00 que paga atualmente, ou seja, desembolsará R$ 50,00 a mais.
Atualmente a contribuição é de 4% para o Banco e de 3% para os Associados, (60% BB e 40% Associados). Pela proposta o Banco vai arcar com 57,5% e os associados com 42,5%. 
Comenta-se que a Diretoria e o Conselho Deliberativo da CASSI já aprovaram a proposta, como apresentada pelo Banco e já foi aceita por Entidades.
Embora não haja mudança no Estatuto da CASSI, haverá uma consulta ao corpo social para autorização do débito da contribuição extraordinária de 1% com duração até dezembro de 2019.
A proposta prevê a realização de uma consultoria até dezembro de 2016, para elaboração de diagnóstico, projetos de melhorias, revisão de processos e sistemas, aperfeiçoamento do modelo de gestão e de governança, visando otimizar recursos, melhorar eficiência e investir em programas direcionados à prevenção da doença e à promoção da saúde dos associados.
A implantação dos projetos está prevista para ocorrer até dezembro de 2017 e contempla a criação de um sistema de acompanhamento dos Investimentos, com prestação de contas trimestral ao patrocinador e ao Corpo Social, nova estrutura do Comitê de Auditoria, melhoria nos processos de recrutamento e seleção de colaboradores e avaliação de desempenho operacional de todas as áreas da CASSI.
Não é de agora que venho me manifestando sobre a gravidade da CASSI que convive com problemas de gestão (quadro de pessoal elevado, estruturas custosas, sistemas, processos e controles defasados), receitas reduzidas desde 1996, com achatamento de salários e benefícios, decorrentes de reajustes ZERO e concessão de abonos, além de enfrentar a inflação médica, abusos de alguns usuários e até desonestidades de alguns prestadores.
Diante desta dura realidade e neste momento crucial, de extrema gravidade para a sobrevivência da CASSI, caberá a cada associado fazer uma reflexão, informar-se e debater com as Entidades representativas, para registrar o seu voto no momento oportuno, que acredito não vai demorar.


Antonio Jose de CARVALHO.

Nenhum comentário: