quarta-feira, 19 de outubro de 2016

PROPOSTA PARA SALVAR A CASSI EM DEBATE

Para tirar a CASSI da situação de falência, cujas despesas são maiores que as receitas desde 2011 e objetivando equilibrio financeiro, encontra-se em debate a proposta apresentada pelo BB, depois de 16 meses de negociação com a ANABB, AAFBB, FAABB, CONTRAF E CONTEC.
Em síntese a proposta consiste em:
A) - Realizar uma consultoria até dezembro de 2016, para elaboração de diagnóstico, projetos de melhorias, revisão de processos e sistemas, aperfeiçoamento do modelo de gestão e de governança, visando otimizar recursos, melhorar eficiência e investir em programas direcionados à prevenção da doença e à promoção da saúde dos associados, com implantação dos projetos até dezembro de 2017;
B) - Criar um sistema de acompanhamento dos Investimentos, com prestação de contas trimestral ao patrocinador e ao Corpo Social;
C) – Reestruturar o Comitê de Auditoria;
Para implementação da proposta foi prevista uma receita adicional, mensal de R$ 40 milhões, até dezembro de 2019, sendo R$ 23 milhões oriundos do Banco e R$ 17 milhões dos associados, através de contribuição extraordinariamente de 1% sobre salário/benefício.
Isso significa que, até dezembro de 2019, a contribuição do associado será elevada em 33%, em relação aos 3% pagos atualmente. Exemplo de impacto em nosso orçamento: Quem recebe R$ 5.000,00 de salário/benefício e paga hoje R$ 150,00 passará a pagar R$ 200,00, ou seja, R$ 50,00 a mais.
Atualmente o Banco contribui com 4,5% e o associado com 3% na proporção de 60% para o Banco e 40% para os associados. Na proposta apresentada a proporção é de 57,5% para 42,5%. O mais justo seria manter a proporção estatutária de 60% para 40%.
Embora não haja mudança no Estatuto da CASSI, haverá uma consulta ao corpo social para autorização do débito da contribuição extraordinária de 1% com duração até dezembro de 2019.
Para apreciar a proposta, a ANABB promoveu um Fórum no dia 15 de outubro, que contou com as presenças da Diretoria Executiva, Conselheiros convidados e Diretores Regionais da ANABB, Entidades representativas de funcionários, Coordenadores de Conselhos de Usuários, Gerentes Regionais e Diretores da CASSI. Também compareceu o Diretor do Banco, Carlos Célio, agora nomeado Presidente da CASSI.
Na oportunidade, a ANABB, AAFBB E FAABB declararam que apoiam a proposta. A CONTRAF disse que no dia 18 teria uma posição. Já a CONTEC terá uma posição entre 26 e 27 de outubro.
“A CASSI está hoje dentro de uma UTI, agonizando, precisando de recursos e alternativas para o seu futuro, disse o Diretor Eleito, Humberto Almeida”.
Continuo entendendo que um dos problemas da CASSI é de gestão (quadro de pessoal elevado, estruturas custosas, sistemas, processos e controles defasados), afetado pela queda de receitas desde 1996, decorrente da política salarial do Banco, com achatamento de salários e benefícios. Some-se a tudo isso a inflação médica, abusos de alguns usuários e até desonestidades de alguns prestadores.
Diante desta dura realidade e neste momento crucial, de extrema gravidade para a sobrevivência da CASSI, na expectativa de que a proposta, se aprovada, seja fidedignamente implantada e considerando a inexistência de alternativas sou favorável à aprovação.
Caberá a cada associado fazer uma reflexão, informar-se e debater o assunto para registrar o seu voto no momento oportuno, que acredito não vai demorar.



Nenhum comentário: