quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

PREVI: NÃO HAVERÁ CONTRIBUIÇÕES EXTRAORDINÁRIAS


O Plano 1 da PREVI apresentou resultado líquido de R$ 5,7 bilhões acumulados de janeiro a novembro de 2017, o que, diferente dos demais grandes Fundos, evitou a cobrança de contribuições extraordinárias em 2018, ameaça que preocupava os participantes.

Assim sendo, as contribuições continuarão sem alterações, sendo a dos aposentados de 4,8%, diferente das elevadas contribuições dos outros três maiores Fundos (FUNCEF, PETROS E POSTALIS) que, na média as contribuições ordinárias são de 10,9%, com o agravante de que os participantes destes Fundos amargam o pagamento de contribuições extraordinárias, previstas para 18 anos, cujos percentuais adicionais variam de 2,7% a 20,6%, reduzindo, em muito, os benefícios recebidos.  

A rentabilidade acumulada dos investimentos do Plano 1 da PREVI no mesmo período foi de 10,4%, quase o dobro da meta atuarial acumulada de 6,4%.  Registre-se que, em 2008, 2011, 2013 e 2014 a rentabilidade foi menor que a meta atuarial, ensejando déficits elevados nos exercícios mencionados, sendo o maior da história da PREVI em 2015, de R$ 28 bilhões que corroeu o superávit acumulado em vários anos, desequilibrando o Plano 1.

Esse quadro histórico de déficits recorrentes começou a se reverter em 2016, quando foi registrado um superávit de R$ 2,2 bilhões. Há expectativa de que o plano alcance o equilíbrio técnico em 2018, afastando o fantasma de ameaças de elevação de contribuições, a menos que haja um grande desmantelo na economia. Cabe lembrar que temos pela frente um cenário de redução de juros que, possivelmente, forçará a PREVI a rever os juros atuariais, cuja taxa é de 5% AA., há muitos anos, o que implicará na elevação em alguns bilhões nas reservas matemáticas (compromissos para o pagamento de benefícios até o final do plano), que era de R$ 144 bilhões em 2016, devendo impactar o equilíbrio do Plano. A FUNCEF já se antecipou em novembro, reduzindo sua taxa de juros atuariais de 5% para 4,5 % AA.

Devemos aguardar o resultado do exercício de 2017 que acredito será melhor do que o que foi registrado até novembro, devendo afastar, também, a ameaça de elevação de contribuições em 2019.  

Desejo a todos UM FELIZ NATAL!

Antonio José de CARVALHO.

7 comentários:

Anônimo disse...

Que notícia ótima! Era tudo que os assistidos estavam esperando e aposto que que voce é o responsável por isto. Não sei tambem como voce consegue dar estas notícias sensacionais sempre em primeira mão ! Feliz Natal para voce.( Voce esqueceu de dizer que o Natal é no dia 25..)

Anônimo disse...

Comentando:
"Jair Mário Bork disse...
Com o devido respeito, embora desconheça quem é essa senhora SANTINA SBARDELA, mas acho que foi uma tremenda irresponsabilidade ela ter iludido 5.400 colegas, levando-os a assinar o tal abaixo-assinado pleiteando aumento de 25% sobre nossa aposentadoria. Com isso, deliberadamente, ela induziu milhares de ingênuos colegas a criarem uma expectativa que, convenhamos, até as pedras sabiam que dariam em nada. Vamos e venhamos, esperar 25% de aumento, na atual conjuntura, não é sonho, é burrice. A PREVI está amargando um deficit acumulado de bilhões, cortaram nosso BET antes da hora, estamos rezando para que não seja aumentada nossa contribuição, é anunciada uma inflação próxima a zero, nosso reajuste será de 2,06728 (observem que não foi nem arredondado para 2,07) e mesmo assim, alguém em sã consciência acreditava que a PREVI, num rasgo de infinita bondade, nos brindaria com 25% extra? "

Vamos aos fatos:

RELATORIO PREVI - Benefícios pagos (R$)
2014 2015 2016
PREVI * 8.394.631.290,07 9.432.736.801,82 10.350.474.387,57

Aos JAIRes e ADEMIRes da vida que acham que não... EU TENHO CERTEZA QUE SIM:
A PREVI pode reajustar em 25% os benefícios.

O impacto seria só de R$2.500.000.000,00 ao ano (talvez R$3.000.000.00,00 = 2% do patrimônio de 150 Bi.

OBS: 10% de aumento teriam impacto de 1% do patrimônio ao ano.
Nadinha perto dos 7,5 bi que o BB usurpou, mais os rombos da lava jato, mensalão, sauípe, sem-teto, etc.

MAS as desculpas sempre recaem em “CALCULOS ATUARIAIS”...
ou melhor: precisam engordar as reservas para o COMPRADOR do BB.

Anônimo disse...

Comentando:
"Jair Mário Bork disse...
Com o devido respeito, embora desconheça quem é essa senhora SANTINA SBARDELA, mas acho que foi uma tremenda irresponsabilidade ela ter iludido 5.400 colegas, levando-os a assinar o tal abaixo-assinado pleiteando aumento de 25% sobre nossa aposentadoria. Com isso, deliberadamente, ela induziu milhares de ingênuos colegas a criarem uma expectativa que, convenhamos, até as pedras sabiam que dariam em nada. Vamos e venhamos, esperar 25% de aumento, na atual conjuntura, não é sonho, é burrice. A PREVI está amargando um deficit acumulado de bilhões, cortaram nosso BET antes da hora, estamos rezando para que não seja aumentada nossa contribuição, é anunciada uma inflação próxima a zero, nosso reajuste será de 2,06728 (observem que não foi nem arredondado para 2,07) e mesmo assim, alguém em sã consciência acreditava que a PREVI, num rasgo de infinita bondade, nos brindaria com 25% extra? "

Vamos aos fatos:

RELATORIO PREVI - Benefícios pagos (R$)
2014 2015 2016
PREVI * 8.394.631.290,07 9.432.736.801,82 10.350.474.387,57

Aos JAIRes e ADEMIRes da vida que acham que não... EU TENHO CERTEZA QUE SIM:
A PREVI pode reajustar em 25% os benefícios.

O impacto seria só de R$2.500.000.000,00 ao ano (talvez R$3.000.000.00,00 = 2% do patrimônio de 150 Bi.

OBS: 10% de aumento teriam impacto de 1% do patrimônio ao ano.
Nadinha perto dos 7,5 bi que o BB usurpou, mais os rombos da lava jato, mensalão, sauípe, sem-teto, etc.

MAS as desculpas sempre recaem em “CALCULOS ATUARIAIS”...
ou melhor: precisam engordar as reservas para o COMPRADOR do BB.

Adaí Rosembak disse...

Caro Carvalho,

Há 5 semanas você não escreve nada.
Tem tanta coisa acontecendo.
Estamos sentindo sua falta.

Abração

Adaí Rosembak

Antonio Carvalho disse...

Caro Adai,
De fato parei o blogue no final do ano e janeiro de 2018, muitas viagens, atribuições etc.
De fato muitos assuntos relevantes estão acontecendo.
Voltarei em fevereiro.
Carvalho.

Antonio Carvalho disse...

Prezados,
O cálculo em fundo de pensão é atuarial.
Para se ter uma idéia, se a PREVI baixar o juros atuarial em 0,5% para acompanhar a realidade do mercado financeira, o impacto no passivo será em em forno de R$ 8 bilhões.
Carvalho.

Joaquim Antunes de Carvalho disse...

Colega Carvalho: um dos comentários acima cita 7.5 bi que o BB tomou indevidamente da Previ. Eu me lembro disso mas pediria que você, por favor, me desse mais detalhes. Obrigado. Joaquim Antunes de Carvalho. Brasília-DF.