segunda-feira, 26 de março de 2018

CASSI – ELEIÇÃO – DESAFIO DOS ELEITOS


A votação para eleger novos dirigentes da CASSI termina às 18 horas do dia 28 de março. Até 26 de março, 70% dos associados ativos e 41% dos aposentados já votaram. Este é o maior percentual de votos de aposentados dos últimos anos. Parabéns a todos! Votar, mais que um direito é um dever. Não devemos permitir que outros votem por nós. O TAA é o único canal de votação. Uma pena. Muitos não votaram por limitações, aí incluídos os licenciados e os que se encontram no exterior. Pensionistas não votam.  Um absurdo.
Com raras exceções, considero que houve um bom nível na campanha. Parabéns a todos! Espero que na eleição da PREVI isso se repita. Campanha se faz mostrando os perfis dos candidatos e as propostas. Respeito à opção de todos. Porém, optei por votar e apoiar a chapa 3 VOCÊ NA CASSI, por entender que apresenta o melhor perfil para enfrentar as extremas dificuldades vivenciadas pela CASSI. Tenho repetido que não existem milagres nem milagreiros. Qualquer chapa que se eleger enfrentará dificuldades e muitos desafios e terá como bússola o Relatório de Consultoria recém elaborado. Seremos chamados a votar alterações no Estatuto da CASSI, que terá como barreira a Resolução CGPAR 23/2018, editada pelo Governo, que ameaça a sobrevivência dos planos de Saúde de empresas estatais. Respeitados os direitos adquiridos, a exemplo do que já houve na PREVI, a CASSI terá dois planos: O pré e o pós 2018. A malfadada CEGEPAR, de mais relevante, em síntese:  
a) – Limita ao menor valor entre 8% da folha de pagamento/benefícios ou ao acréscimo de 10% do percentual das contribuições dos patrocinadores em 2017 que no caso do Banco é de 4,5%. Isso significa que haverá pouca margem para eventual elevação de contribuição do Banco.
b) – Cria a paridade de contribuições, que serão cobradas de acordo com faixa etária e/ou renda;
c) – Concede benefícios à saúde somente na vigência do contrato de trabalho.
Como já anunciado é bom destacar que os direitos adquiridos serão respeitados. Porém, o plano CASSI dos pré 2018 entrará em extinção no decorrer do tempo, pois, não mais serão admitidos novos associados nas condições atuais, o que pode ser observado no edital de concurso do Banco em andamento.
Antonio J. CARVALHO.

segunda-feira, 19 de março de 2018

CASSI – VOTAÇÃO EM ANDAMENTO



A votação para escolha de dirigentes da CASSI que iniciou dia 16 termina dia 28 de março. Até 18 horas de HOJE, 19 de março, 42% dos ativos e 14% dos aposentados já votaram.
É importante e necessária a participação de todos. Não permita que outros decidam por Você. Exerça seu direito, votando.
Os funcionários da ativa votam no SISBB do Banco.  Aposentados votam nos terminais de auto-acendimento, usando a senha da conta corrente ou a biometria existente nos terminais. Pensionistas não votam.  Uma discriminação do Estatuto que precisa ser corrigida.
Diferente da CASSI que restringe a votação dos aposentados exclusivamente aos terminais do Banco, a PREVI disponibiliza quatro diferentes canais de votação, três dos quais possibilitando votar sem sair de casa.  A PREVI facilitou, também, a votação dos ativos em férias, cedidos ou afastados. As restrições na CASSI podem dificultar a votação, reduzindo a quantidade de votos. Considero isso um atraso, para não dizer um absurdo, diante de elevado nível tecnológico existente no Brasil.
Como amplamente divulgado, desde 2011, a CASSI enfrenta sérias dificuldades, registrando déficits crescentes, mesmo após a elevação de contribuições temporárias que teve início em janeiro de 2017 a vai até dezembro de 2019.
O grosso dos problemas da CASSI é de ordem estrutural. Somem-se a isso, problemas de ineficiência administrativa, inflação médica, abusos de alguns associados e prestadores, decorrentes de fragilidades na gestão e nos controles. Circulam denúncias de que o atual Diretor e candidato à reeleição, sequer comparece ao expediente de trabalho.
Independente da chapa que será eleita haverá mudanças no Estatuto, que podem ser amargas, a serem votadas pelos associados, em sintonia com recente consultoria realizada na CASSI e até por força da Resolução CGPAR 23 de janeiro de 2018, que abordaremos em outra postagem.
Existem promessas de campanha que sabemos não serão implementadas. Não existem milagreiros e nem milagres.
A gestão é paritária, colegiada e as decisões por maioria de votos. Nada ocorre sem a concordância do Banco.
Analisei todas as chapas, propostas e comentários da campanha e diante da qualificação e experiência dos candidatos, em especial do candidato a Diretor, que tem comprovada experiência administrativa e na área de saúde, optei por votar e apoiar a chapa 3 VOCÊ NA CASSI.
 Antonio J. CARVALHO

sábado, 17 de março de 2018

CASSI - ELEIÇÃO


Começou dia 16 de março e termina dia 28 de março, a votação para escolha do Diretor de Saúde e Rede de Atendimento e Conselheiros Deliberativos e Fiscais da CASSI. É importante e necessária a participação de todos. Não permita que outros decidam por Você. Exerça seu direito, votando.
Os funcionários da ativa votam no SISBB do Banco.  Aposentados votam nos terminais de auto-acendimento, usando a senha da conta corrente ou a biometria existente nos terminais. Pensionistas não votam.  Uma discriminação do Estatuto que precisa ser corrigida. Não observei movimento nesse sentido.
Diferente da PREVI que disponibiliza quatro diferentes canais de votação, três dos quais possibilitando votar sem sair de casa, a CASSI restringe a votação dos aposentados exclusivamente aos terminais do Banco. Os ativos em férias, cedidos ou afastados, deverão procurar uma agência do Banco. Essa restrição na CASSI pode dificultar a votação, reduzindo a quantidade de votos. Considero isso um atraso, para não dizer um absurdo, diante de elevado nível tecnológico existente no Brasil.
Como amplamente divulgado, desde 2011, a CASSI enfrenta sérias dificuldades, registrando déficits crescentes, mesmo após a elevação de contribuições temporárias que teve início em janeiro de 2017 a vai até dezembro de 2019.
O grosso dos problemas da CASSI é de ordem estrutural. Somem-se a isso, problemas de ineficiência administrativa, inflação médica, abusos de alguns associados e prestadores, decorrentes de fragilidades na gestão e nos controles. Circulam denúncias de que o atual Diretor e candidato à reeleição, sequer comparece ao expediente de trabalho. A Consultoria realizada recentemente, certamente diagnosticou com profundidade os problemas e apontou alternativas de melhorias.
Independente da chapa eleita acredito que haverá mudanças amargas no Estatuto, a serem votadas pelos associados, até por força da Resolução CGPAR 23 de janeiro de 2018, que abordaremos em outra postagem.
Existe uma chapa que se diz a única capaz de resolver o problema. Outra se apóia nos sindicatos. Há quem pensa que eleitos podem tudo.  Enganam-se ou tentam enganar os associados. A gestão é paritária e colegiada e nada ocorre sem a concordância do Banco.
Analisei todas as chapas, propostas e comentários da campanha e diante da qualificação e experiência dos candidatos, em especial do candidato a Diretor, que tem comprovada experiência administrativa e na área de saúde, optei por votar e apoiar a chapa 3 VOCÊ NA CASSI.
 Antonio J. CARVALHO